Publicidade
Cotidiano | Viver com saúde Nutrição

Má alimentação aumenta a ansiedade e o nervosismo

'Descontar' na comida causa sensação de bem-estar que dura pouco tempo

Última atualização: 17.04.2018 às 13:51

Unimed do Brasil/Divulgação
Mude: alimentos ricos em gordura comprometem a saúde
É possível que esta situação já tenha acontecido com você: ao surgir um problema no trabalho, sem nem ao menos perceber, você “desconta” a pressão comendo algum alimento que gosta (geralmente, algo rico em gordura).

Ou então, ao enfrentar uma situação desagradável em casa, tenta aliviar a ansiedade comendo mais do que deveria.

Pois este comportamento de tentar relaxar do estresse do dia a dia tendo como parceira a comida é cada vez mais comum, só que seu efeito acaba sendo justamente o contrário, como explica a nutricionista da Unimed Encosta da Serra Virgínia Gallas: se o ato de comer pode trazer uma espécie de alívio imediato, em pouco tempo ele só irá piorar a situação.

O atalho para o bem-estar, ingerindo grandes quantidades de alimentos (principalmente carboidrato e açúcar) causa uma rápida elevação da glicose. Isso provoca um aumento do hormônio insulina, fazendo com que o triptofano (aminoácido que ajuda a sintetizar serotonina, o “hormônio do prazer”) entre no cérebro intensamente, causando uma boa sensação na pessoa.

“Essa sensação de bem-estar dura pouco tempo e faz com que o ansioso sinta prazer em comer”, diz. Porém, justamente os alimentos ricos em gorduras, como os produtos industrializados, refrigerantes, salgadinhos e as frituras, acabam agravando a ansiedade. Forma-se aí um ciclo de má alimentação e aumento da sensação de nervosismo.

Alternativas

Canalizar as emoções em outras atividades (como esporte, terapia ou exercícios de concentração) pode ser alternativa. Para quem, ainda assim, precisa de um recurso à mão para quando bater aquela pressão, Virgínia deixa a dica: “Chocolates com baixo nível de açúcar reduzem a sensação de ansiedade. Recomenda-se o consumo de no máximo 25 gramas no dia, preferencialmente chocolate amargo com graduação de cacau acima de 70%”.

Muito além da mesa

O exercício físico é um dos maiores aliados. As atividades físicas liberam endorfinas, causando a mesma sensação de plenitude que os doces. Se preferir, escolha uma outra atividade recreativa ou intelectual que gere tanto prazer quanto o alimento. Pode ser uma massagem, uma caminhada pelo parque, aulas de dança, uma leitura da sua preferência ou ir ao cinema. Busque um sistema de recompensa que funcione para você, além do alimento.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.