Jornais
FECHAR
  • Jornal VS
  • Diário de Canoas
  • Jornal de Gramado
  • Diário de Cachoeirinha
  • Correio de Gravataí
Grupo Sinos
Publicado em 07/12/2014 - 14h23
Última atualização em 07/12/2014 - 14h39

Saia do negativo

Você quer virar um reclamão? Ou prefere fazer algo a respeito?

Nascer do sol
 
Mandar embora a negatividade.
 
Não é tarefa fácil - especialmente quando se passa por alguma situação complicada ou, no caso da mulherada, quando bate aquela TPM forte e simplesmente parece que tudo está errado.

Há uma metáfora no yoga que diz que, às vezes, vemos nossa realidade através de uma névoa que pode ser mais ou menos densa, mas que, de qualquer maneira, nos impede de perceber as coisas como elas realmente são. A meditação e a prática das posturas ajudam a relaxar os nervos, reequilibrar as energias e fazer a névoa se dissipar, nos ajudando a ver não somente o mundo, mas a nós mesmos, principalmente, de forma mais clara. Ora, não dizem que, depois que neblina desaparece, vem o sol?

Se a alegria contagia, a negatividade contamina. Tentar ser positivo não significa estar sempre zen e de bom humor, mas aprender a lidar com as situações da melhor forma possível. Até porque pensar no lado ruim das coisas, especialmente em situações de crise, não ajuda. Pensar positivo, no entanto, pode fazer um surpreendente bem, especialmente à saúde física e mental. Mesmo que a vida não saia exatamente como pensamos ou planejamos, há, sim, um lado bom em tudo, por menor que possa parecer, nem que seja um simples aprendizado de como fazer diferente da próxima vez.

Há alguns meses, em um curso rápido sobre os conceitos básicos do yoga, minha professora chamou a atenção para como as pessoas gostam de viver reclamando. Saí dali pensativa e, nos dias que se seguiram, parei para observar. E não é que é verdade? Seja colocando para fora toda a sua raiva em comentários e postagens no Facebook ou simplesmente falando mal de alguém, algo ou algum serviço, a negatividade está em todos os cantos.
 
E os sorrisos? E o "muito obrigado"? E a apreciação genuína pela vida? E a lembrança de que existem, sim, coisas boas e pessoas incríveis no mundo? Vejam bem: reclamar é diferente de criticar. A crítica vem embasada em fatos, números, estatísticas. Conhecimento. A reclamação, muitas vezes, vem sem fundamento, direto das profundezas de nossas frustrações pessoais. Não é que devamos deixar de nos preocupar com as coisas e de querer que haja coisas melhores. Mas quantas vezes, ao reclamar, pensamos se podemos fazer algo a respeito ao invés de jogarmos a responsabilidade para os outros ou canalizar sentimentos ruins? 

Minha professora aconselhou: quando alguém perto de você começar com alguma reclamação sem fundamento ou com comentários negativos, rebata com um positivo. "Viu como a lua está bonita hoje?". Assumindo com gosto o risco de soar completamente piegas, não há nada melhor para combater a violência verbal (e, quem sabe, a física, também), do que a positividade e o amor.

Aquela famosa lição do copo é valiosa. Ele está ali, com água. Estaria metade cheio ou metade vazio? Quem sabe, afinal de contas, seja apenas uma questão de perspectiva.

Namaste!

_/\_