Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Jornal NH, 99 - Bairro Ideal - Novo Hamburgo/RS - CEP: 93334-350
Fones: (51) 3065.4000 (51) 3594.0444 - Fax: (51) 3594.0448

PUBLICIDADE
Cinema Gaúcho

São Chico vira cenário para gravações de filme

Produção de Tabajara Ruas vai rodar o estado Estado até a segunda quinzena de novembro
23/10/2017 18:59 23/10/2017 19:09

Mariana Catalane/Divulgação
História retrata o confronto federalista no fim do século 19
Cinco homens cruzaram os campos de cima da Serra na busca pela cabeça de Gumercindo Saraiva, cortada pelos republicanos e levada como troféu para o governador do Estado, na semana passada. A história, que parece saída de um filme...bem, é exatamente isso. Dirigido por Tabajara Ruas, a produção de A cabeça de Gumercindo Saraiva, teve suas primeiras gravações com o elenco em São Chico. A trama, baseada no livro do próprio ruas, se passa no final da revolução federalista de 1893 e tem no elenco Murilo Rosa, Marcos Breda, Marvos Verza e Pedro Oliveira, como republicanos, e Marcos Pitombo, Allan Souza Lima, Sirmar Antunes e Rodrigo Ruas, como maragatos.

Perseguição
 Responsável pelo roteiro de Netto perde sua alma e diretor de Netto e o Domador de Cavalos, Ruas define que o novo filme é diferente das demais produções. “Cada filme é único no seu modo de produção, no roteiro, na equipe e elenco. Desta vez a trama se resume a um grupo menor de protagonistas - um grupo de 5 cavaleiros persegue outro de 3 homens. Não teremos cenas de guerra e batalhas - e não tem romance também. As mulheres do filme são poucas, aparecem ao longo da trama em pequenos, mas marcantes papéis”, destaca.

As gravações do filme seguem até a segunda quinzena de novembro. Entre as locações do Estado, Canela, Cambará do Sul, São Miguel das Missões, Gravataí e Porto Alegre, no Theatro São Pedro e no Hospital São Pedro, servirão de cenário para a trama, que contará com cenas nos parques nacionais de Aparados da Serra e da Serra Geral, no cânion Fortaleza e na cachoeira do Tigre Preto. A estreia deve ocorrer no segundo semestre de 2018.
“Nesta semana tivemos a sorte de contar com a ajuda do tempo, que proporcionou uma luz muito boa para as nossas diárias. Já rodamos as 16 primeiras cenas do longa. Aqui em São Francisco de Paula fomos muito bem recebidos e tivemos a ajuda dessa natureza fantástica que muito lembra minha terra Natal (sou natural de Uruguaiana). Estamos tendo um apoio muito importante das prefeituras em toda a logística que a produção exige”, comenta o diretor.


Jornal NH
PUBLICIDADE

WEBTV

PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS