Publicidade
Notícias | Região Crime brutal

Três suspeitos da morte de empresário no Petrópolis são presos

Um dos homens foi capturado em Tramandaí e os outros dois em Novo Hamburgo, nos bairros Santo Afonso e Boa Saúde

Última atualização: 03.10.2017 às 21:38

Adriana Lima/GES-Especial
Inspetor Luz com Wellington Jackson Silva da Costa, 19 anos

Foram presos os três suspeitos do latrocínio do empresário José Américo Brandão Ferreira, de 62 anos, morto a tiros ao chegar em casa com a esposa no último dia 25, no bairro Petrópolis, em Novo Hamburgo.

O primeiro foi capturado em Tramandaí na segunda-feira (2).  Matheus Luís Alves Arruda, 18 anos, estava na casa da irmã e aguardava receber dinheiro para tentar uma nova fuga.

Na manhã desta terça-feira, no bairro Santo Afonso, em Novo Hamburgo, foi preso o segundo suspeito: Marlon Jackson Silva da Costa, 24. O terceiro, Wellington Jackson Silva da Costa, 19, foi capturado no início da tarde de hoje no bairro Boa Saúde.

Para o delegado Tarcísio Kaltbach "não há dúvidas" da autoria deles no crime. O inspetor Jorge Luz, que coordena as investigações, participou das prisões. 

Relembre o caso

O empresário José Américo Brandão Ferreira, de 62 anos, foi morto a tiros quando chegava em casa de carro no bairro Petrópolis, em Novo Hamburgo, por volta das 22 horas da segunda-feira (25).

Os três bandidos caminhavam pela Rua Líbia e, por uma fresta do primeiro portão da garagem, de grade, conseguiram entrar, logo atrás do carro da vítima. Dois deles ainda conseguiram se abaixar e passar pelo segundo portão, que descia, praticamente deitando no chão. Na sequência, um deles abriu a passagem para o terceiro. “As imagens mostram que eles andavam despretensiosamente pela rua e de repente aceleraram para entrar na casa”, explica o inspetor Jorge Luz, da 1ª Delegacia de Polícia Civil (DP) de Novo Hamburgo.

Imagens das câmeras de segurança também mostram que a vítima foi rendida ainda dentro do carro por um dos homens que estava armado com um revólver. Enquanto dois dos criminosos empurram José Américo para perto da porta de casa, o outro tenta tirar o carro da garagem, raspando no veículo da esposa dele. Como não conseguem sair com o carro, um dos bandidos, que mantinha a vítima sob a mira do revólver, atira contra o empresário e depois foge a pé com os dois comparsas.

Segundo o delegado Tarcísio Kaltbach, que coordena as investigações da 1ª DP de Novo Hamburgo, três disparos de revólver atingiram a vítima, um no abdome e dois próximos da cabeça. Um quarto disparo ainda acertou uma vidraça da garagem.

Ainda conforme o delegado, pouco antes dos disparos, José Américo quis proteger a mulher, a corretora de imóveis Ana Maria Bossle Ferreira, 61. “A esposa dele estava dentro de casa e ouviu quando ele gritou para que ela não saísse. Depois, ela escutou os disparos e correu para a garagem”, cita Tarcísio. José Américo foi socorrido, mas não resistiu e morreu no local.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.