Publicidade
Notícias | Região Riozinho

Área onde homem morreu afogado não possui sinalizações de advertência

Área é considerada de alto risco pelo Corpo de Bombeiros Voluntários de Rolante

Por Bianca Dilly
Última atualização: 29.12.2017 às 15:47

Gabriel Guedes/GES-Especial
Cascata Três Quedas é uma das atrações mais procuradas em Riozinho
Um homem de 29 anos morreu afogado enquanto nadava na Cascata Três Quedas, na região da Cascata do Chuvisqueiro, em Riozinho. Vinicius Ferreira Dulac, morador de Porto Alegre, visitava o local com um grupo de amigos quando se afogou. De acordo com o Corpo de Bombeiros Voluntários de Rolante, que atuou no resgate, a área é perigosa e de difícil acesso, localizada a dois quilômetros da estrada principal, em meio à Mata Atlântica. Embora o banho não seja proibido, a corporação destaca que a região apresenta alto risco. O local também não possui sinalizações de advertência, apenas de orientação.

Facebook/Reprodução
Vinicius Ferreira Dulac
O afogamento ocorreu no fim da tarde da última terça-feira, mas o corpo só foi localizado mais de 16 horas após. Dulac foi encontrado a oito metros de profundidade, em um poço, abaixo da queda d'água.

Segundo o relato de um amigo, o porto-alegrense não pulou da queda, estava apenas tomando banho, quando foi surpreendido pelo repuxo. A equipe de mergulho dos Bombeiros participou do resgate. Foram necessárias cordas e uma maca para remover o corpo.

Limites

Conforme os voluntários, acidentes na área do Chuvisqueiro e de Alto Riozinho podem ocorrer por falta de cuidado e curiosidade das pessoas. “Não são muitas as situações, mas o pessoal vai além dos limites e acaba provocando esses acidentes. É preciso saber que é diferente nadar em uma piscina e ir para o meio da natureza, em uma cascata ou arroio, onde a pressão da água é muito forte”, afirma um dos bombeiros efetivos rolantenses, Adércio Garcia Torna. 

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.