Publicidade
Cotidiano | Viver com saúde Pediatria

Hora de dormir no quarto sozinho: veja dicas para a transição do bebê

Não há consenso sobre o momento certo para o bebê ter seu cantinho

Por Susi Mello
Última atualização: 04.12.2017 às 14:12

Arquivo Pessoal
MEDIDAS: pais de gêmeos não desistiram das mudanças

O tema é um dos mais polêmicos quando se trata da criação do bebê. Enquanto alguns pais optam pela individualidade do bebê nas primeiras semanas de vida indo dormir no quarto sozinho, outros os mantêm sob o olhar no quarto do casal por mais tempo.
O pediatra e membro da diretoria da Sociedade de Pediatria do Rio Grande do Sul (SPRS), Benjamin Roitman, diz que não há um consenso absoluto. Mas é usual os pediatras recomendarem que até três meses a criança possa dormir no mesmo quarto dos pais, em seu carrinho ou moisés. Porém jamais na cama dos pais, pois o risco de sufocação e morte é considerável. Após os três meses, os pais são estimulados a colocarem a criança em um quarto próprio.

A auxiliar de escritório Loreni Adriana Mosmann Friedirichs, 33 anos, acredita que é importante para a criança entender que ela tem o seu quarto e que será o “cantinho” dela. “Não concordo das crianças dormirem com os pais, por motivos óbvios, como privacidade e vida sexual. Não acho saudável a criança ficar no mesmo ambiente neste caso especifico”, salienta Loreni, mãe de Mariana, de 10 meses, que dorme no quarto sozinha desde o primeiro mês de vida. A mudança para o quarto foi considerada super tranquila.

É preciso paciência

Arquivo pessoal
Filhos do do administrador Rafael Augusto de Souza dormem sozinhos
Paciência é o que não pode faltar no processo de deixar o filho dormir sozinho. A dica é do administrador Rafael Augusto de Souza, 33 anos, pai dos gêmeos João Pedro e Vicente, dois anos, que dormem em quarto próprio desde os oito meses, quando a família mudou-se para um apartamento de dois quartos (antes só tinha um). “Cada criança reage de um jeito, tem um medo e envolve a segurança afetiva dos pais. É preciso colocar os filhos aos poucos, indo para o quarto deles quando necessário”, diz o administrador.

Fique atento 

* O berço deve ter o mínimo de objetos para evitar acidentes: evitar protetores de berço, fios ou panos que o bebê possa se enrolar inadvertidamente; não usar travesseiros ou usar os “antissufocação” que tem furos e são finos. Recomenda-se um lenço ou cobertor.
* Quando a criança acorda à noite estimula-se que os pais mantenham a criança em seu berço, não trazendo para a sua cama. Mantenha a ideia de que aquele é o lugar da criança e o quarto dos pais é dos pais.
* Pais devem deixar claro a criança que a mãe dorme com o pai.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.