Publicidade
Cotidiano | Viver com saúde Saiba mais

Tosse seca, cansaço e falta de ar podem ser sintomas de Fibrose Pulmonar Idiopática

FPI provoca enrijecimento do órgão e limita vida dos paciente

Por Susi Mello
Publicada: 12.12.2017 às 13:30

Divulgação
Fibrose Pulmonar Idiopática (FPI) é uma condição rara, grave e crônica que afeta os pulmões
A pesquisa Panorama da Saúde Respiratória do Brasileiro, encomendada pela farmacêutica Boehringer Ingelheim ao IBOPE Inteligência[ii], alerta que algumas dessas doenças ainda não são conhecidas pela população. É o caso da Fibrose Pulmonar Idiopática (FPI), condição rara, grave e crônica que afeta os pulmões, provocando o enrijecimento progressivo do órgão. Os dados revelam que quatro a cada cinco pessoas não sabem nada a respeito da Fibrose Pulmonar Idiopática na região sul do País.

“A Fibrose Pulmonar Idiopática (ou FPI) é uma doença progressiva. O paciente sofre aos poucos uma redução na capacidade respiratória, tendo dificuldade em respirar. A FPI pode atingir ambos os pulmões e a deficiência causada pela doença ainda não pode ser totalmente revertida”, aponta o pneumologista da Santa Casa de Porto Alegre, Adalberto Rubin.

A doença é chamada de “idiopática” porque esse termo se refere a doenças sem uma causa definida. “Isso significa que os médicos ainda desconhecem o motivo do surgimento da FPI, embora muitos estudos sejam realizados para entender melhor esse cenário”.

Sintomas

Adalberto Rubin, pneumologista  Os principais sintomas da Fibrose Pulmonar Idiopática são tosse seca, cansaço ao realizar tarefas do dia a dia e falta de ar. Como os sintomas são comuns e a doença costuma atingir pessoas mais velhas, esses sinais costumam ser confundidos com o envelhecimento ou com os sintomas de doenças cardiovasculares e respiratórias. Assim, o diagnóstico da FPI é complexo e pode levar anos para ser feito de forma correta, levando a um tratamento inadequado ou tardio.

A fibrose tem evolução progressiva. À medida que a doença evolui, ela compromete a capacidade respiratória do paciente. Se a FPI for diagnosticada em estágio inicial e tratada adequadamente, sua evolução pode ser retardada, permitindo que os pacientes possam viver por mais tempo. A primeira medida é procurar um especialista para o tratamento. Ademais, os pacientes podem praticar exercícios leves, manter alimentação saudável e evitar a exposição à poluição ambiental.

Saiba mais

- A doença tem incidência maior em homens com mais de 50 anos.

- As possíveis formas de prevenir a doença são: não fumar e evitar o contato com poluentes ambientais. Caso o paciente sinta falta de ar e tenha tosse com frequência, é importante procurar ajuda médica.

- Para diminuir a progressão, são utilizados antifibróticos. Além disso, recomenda-se acompanhamento com o fisioterapeuta especializado em respiração. Em casos de muito desenvolvimento, pode ser necessária a suplementação do oxigênio para garantir a respiração. Quando está muito avançada, é recomendado o transplante de pulmão.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.