Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Jornal NH, 99 - Bairro Ideal - Novo Hamburgo/RS - CEP: 93334-350
Fones: (51) 3065.4000 (51) 3594.0444 - Fax: (51) 3594.0448

PUBLICIDADE
Apressadinhos

Radar móvel flagrou 8,7 mil infrações por excesso de velocidade no ano passado

Prefeituras de três cidades da região usam equipamento
30/03/2018 09:25 30/03/2018 18:39

Arquivo/GES/Diego da Rosa
Radar móvel em Novo Hamburgo
Encarado como uma das medidas para inibir o excesso de velocidade e garantir mais segurança no trânsito, o radar móvel é adotado por três cidades da região: Campo Bom, Estância Velha e Novo Hamburgo. Nelas, por meio do equipamento, foram registradas 8.778 infrações por excesso de velocidade no ano passado. Destas, 58% aconteceram em Novo Hamburgo (5.115). De janeiro a 20 de março deste ano, o equipamento já flagrou no Município 950 motoristas “apressadinhos”. As vias onde este tipo de infração mais ocorre são as avenidas Primeiro de Março, Victor Hugo Kunz e Vereador Adão Rodrigues de Oliveira.

Especialista em trânsito e professor do Curso de Formação de Instrutores da Universidade Feevale, Eliseu Carlos Raimundo explica que geralmente os radares móveis vão aparecer em locais considerados de risco que são apontados pelo levantamento técnico do órgão fiscalizador responsável na ci- dade. “Não há restrição de local e nem de horário. Pode ser um pontual ou não, mas sempre onde há necessidade do equipamento para inibir a alta velocidade. O radar móvel não exige a presença do agente de trânsito ou do policial rodoviário”, observa.

Na avaliação do especialista, é necessário ter educação e consciência. “É preciso ter as duas coisas ao pegar um veículo e sair pelas estradas. Assim não há risco de receber multas”, observa. “O radar serve para punir aqueles motoristas infratores, que não obedecem as limitações de velocidades, que podem gerar acidentes fatais. Se cada um andar dentro da velocidade permitida, não há multas”, pondera.

Como atuam

Campo Bom

No município, a Guarda Municipal possui um radar móvel com reconhecedor de OCR, tecnologia que possibilita a identificação de veículos em furto, roubo, entre outras irregularidades. Em 2017, foram autuados 1.928 motoristas por excesso de velocidade. Já em 2018, até o momento, foram 320. Apesar disso, as principais infrações são de estacionamento em área irregular, como em locais para carga e descarga, em vagas para idosos e para pessoas com deficiência. Outra infração comum é o uso de aparelho celular pelo condutor de veículo.

Na cidade, onde acontecem mais infrações são nas avenidas Brasil, São Leopoldo, João Schumann e na Rua Voluntários da Pátria, que, segundo o Departamento de Trânsito, são as que possuem o maior fluxo de veículos. Ainda de acordo com informações da equipe do Departamento de Trânsito, no município existe uma parceria com a Secretaria de Educação, que conscientiza crianças por meio de palestras e oficinas.

Estância Velha

No município, há um radar de propriedade da prefeitura. De acordo com o comandante da Guarda Municipal, Alex Ullman, neste ano foram aplicadas 174 autuações com o uso do equipamento. Ano passado, foram 1.735. Na cidade, a Avenida Presidente Vargas é a via onde os motoristas mais excedem a velocidade. Na avaliação do comandante, isto ocorre porque ela serve de ligação entre a RS-239 e a RS-240, o que gera tráfego volumoso. “Isso somado à imprudência dos motoristas que não respeitam as regras de sinalização, priorizando seu tempo em detrimento da segurança dos usuários, incluindo os pedestres, ignorando os diversos cruzamentos ao longo da via”, analisa.

Em Estância Velha, o principal método adotado pela Guarda Municipal para inibir condutas inapropriadas no trânsito é a fiscalização. “É nossa obrigação como agente de trânsito, aliado a isso ocorrem palestras e campanhas educativas, sendo que estas últimas surtem poucos efeitos reais”, admite Ullman. Apesar disso, o comandante frisa a importância de trabalhar a mudança de mentalidade. “Precisamos mudar a cultura de que o trânsito é voltado somente aos veículos automotores, o trânsito é voltado para as pessoas, estejam embarcadas em automóveis, em bicicletas, na forma de pedestre ou qualquer outra forma permitida. Devemos cuidar da segurança de todos”, defende.

Novo Hamburgo

A Prefeitura que é órgão cadastrado no Sistema Nacional de Trânsito, através da Diretoria da Guarda Municipal, atua na fiscalização de excesso de velocidade dentro dos limites do Município, colaborando com a diminuição da acidentalidade. Na cidade, são realizadas blitze educativas, práticas de segurança no trânsito e palestras. A Prefeitura considera ainda as operações de fiscalização como preventivas e educativas, pois retiram de circulação condutores que representam ameaça à segurança do trânsito.

Saiba mais

Diferentemente das lombadas eletrônicas, que são sempre bem iluminadas e com fácil visibilidade, o radar móvel pode ficar escondido. Não é contra lei.

A lombada eletrônica tem caráter preventivo. Já o radar móvel ou os controladores de velocidades têm o caráter de fiscalização, ou seja, estão exercendo a função de punir, pois nas vias há as sinalizações indicando as velocidades.

O radar móvel tem o alcance diversificado, depende de cada equipamento. Geralmente é de 300 metros a 1 quilômetro de alcance.

Fonte: Eliseu Carlos Raimundo, especialista em trânsito e professor do Curso de Formação de Instrutores da Universidade Feevale


Jornal NH
PUBLICIDADE

WEBTV

PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS