Olá leitor, tudo bem?

Use os í­cones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, ví­deos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Jornal NH, 99 - Bairro Ideal - Novo Hamburgo/RS - CEP: 93334-350
Fones: (51) 3065.4000 (51) 3594.0444 - Fax: (51) 3594.0448

Anilado

Um ano após o título do Gauchão, Noia encara o Cianorte pela Série D

Time hamburguense encara os paranaenses neste domingo e, na segunda, completa o primeiro aniversário do título estadual
05/05/2018 20:26 06/05/2018 15:02

Juarez Machado/GES
Há um ano, os jogadores do Novo Hamburgo comemoravam, no Estádio Centenário, a conquista do Gauchão após a vitória nos pênaltis sobre o Inter na decisão
Há um ano, mais precisamente no dia 7 de maio de 2017, o Esporte Clube Novo Hamburgo cravou sua bandeira num pequeno hall de times do interior do Estado que conseguiram alcançar a maior façanha do futebol regional: o título de campeão gaúcho. Amanhã, o clube, que nesta semana completou também 107 anos de fundação, celebra o primeiro aniversário da sua maior glória. Uma data inesquecível para os torcedores, jogadores, comissão técnica e dirigentes. Por muitos, o Noia era tido como um dos candidatos ao rebaixamento naquele Estadual, mas, mesmo com uma equipe com folha salarial de cerca de R$ 160 mil, foi soberano frente à dupla Gre-Nal, sem ter perdido um confronto contra os milionários da capital.

Como não lembrar do momento em que o capitão Preto ergueu a taça no Estádio Centenário, em Caxias do Sul, após o empate por 1 a 1 no tempo normal com o Inter, e o gol de Pablo nas penalidades fechando em 3 a 1 para o Anilado? Uma festa enorme para uma campanha irretocável. Foram 17 jogos, com nove vitórias, seis empates e duas derrotas.

Para o atual diretor-executivo do Noia, Juarez Radaelli, que foi o presidente no ano do título, a conquista foi merecida. “É algo que nos enche de orgulho. São tão poucos clubes que conseguiram desbancar a dupla Gre-Nal, que parece, a cada dia que lembro, que estamos conquistando o título novamente”, destacou Radaelli. O meia Preto até brincou com a rapidez com que esse tempo passou. “Um ano já? (risos) Agora o Novo Hamburgo tem o aniversário do clube e o aniversário do título. Foi um momento especial. Fico muito feliz por fazer parte dessa história”, completou o capitão.

DEPOIS DA COMEMORAÇÃO MÁXIMA, UM ANO COMPLICADO

O título rendeu ao Novo Hamburgo uma visibilidade enorme no cenário nacional, inclusive dez dos 11 jogadores titulares foram parar em clubes de séries B e C do Brasileiro. Porém, com esse desmanche no time e a saída do técnico Beto Campos, a participação anilada na quarta divisão nacional de 2017 não foi nada boa. A queda na fase de grupos só não foi pior do que o fechamento do departamento de futebol profissional no segundo semestre do ano passado. As velhas dificuldades de falta de patrocínio e sócios novamente pairaram sobre o Estádio do Vale.

Mesmo iniciando com o retorno do treinador campeão gaúcho com meses de antecedência ao Gauchão 2018, o Noia quase acabou rebaixado um ano depois de ser campeão estadual. Erros de planejamento, de construção de equipe, resultaram numa campanha pífia. Apenas na última rodada da fase classificatória, e contando com resultados paralelos, o Anilado conseguiu escapar da Divisão de Acesso. Num ano em que o investimento foi o dobro de 2017, as peças contratadas não encaixaram novamente sob comando de Beto Campos, mas todos os acontecimentos serviram de lição para os atuais dirigentes.

Oito campeões seguem no Estádio do Vale

Inézio Machado/GES
Alguns campeões gaúchos seguem no Estádio do Vale
Do péssimo Gauchão para a Série D 2018, o Noia trocou o departamento de futebol e 18 jogadores foram liberados ou emprestados. Doze foram contratados, e, do atual elenco, oito campeões gaúchos permanecem no Vale: Matheus Kerstner (goleiro); Lucas Wingert (zagueiro); Assis (lateral-esquerdo); Preto e Juninho (meias); Conrado, Branquinho e João Paulo (atacantes). “O clube conseguiu chegar ao topo, e no Estado é muito difícil. Sabíamos que levar o rótulo de campeão seria ainda mais. Montamos uma equipe nova, se apostou num projeto, mas não deu certo. Agora, passou e esperamos dar sequência no ano”, projeta Preto.

Noia quer a vitória diante do Cianorte no Paraná pela Série D

É apenas a terceira rodada do grupo A16 da Série D do Campeonato Brasileiro, mas o Novo Hamburgo já faz as contas para alcançar a classificação à próxima fase da competição nacional. Neste domingo, a partir das 16 horas, o Noia encara o Cianorte, no Estádio Albino Turbay, no Paraná, e busca uma vitória fora de casa para subir da 3ª colocação da chave para a vice-liderança. A estratégia é essa porque depois, no returno, o Anilado terá mais dos jogos em casa para definir sua situação no certame. No outro jogo do grupo, no mesmo horário, o líder Tubarão recebe a Ferroviária (2º).

“Só temos mais quatro jogos. É muito apertado, difícil. Nesses dois jogos contra o Cianorte, nós precisamos fazer mais pontos que eles. Ou seis pontos ou quatro. Se fizermos quatro pontos, praticamente eliminamos eles. Para mais um jogo em casa e outro fora. Ou seja, estaríamos na briga (pela classificação)”, destacou o técnico anilado Paulo Henrique Marques.

Para o duelo em solo paranaense, o Anilado terá algumas mudanças. Rudiero e Preto, com problemas musculares, não viajaram para Cianorte e devem dar lugar a Henrique e Zotti. Por questões técnicas, Assis deve ficar com a vaga de Márcio Goiano na lateral esquerda. Durante a semana, o Noia treinou no campo do Vila Rosa, em Dois Irmãos, com o objetivo de buscar uma melhor adaptação ao estilo de gramado. Em Cianorte, a grama tem a folha mais larga, estilo jardim. “É ruim para os dois times. O Cianorte tem a vantagem de treinar lá e conhecer. Por isso, fizemos esses treinos no Vila Rosa, mas não vai ser isso que vai ganhar o jogo. Temos que fazer um bom jogo, equilibrado”, completou o técnico.

CIANORTE

João Gabriel; Gerônimo, Montoya, Feliphe Gabriel e Filipe Ramon; Jovany, Sidney (Ferreira), Xavier e Rodrigo Alves; Fernandinho e Thomas. Técnico - Marcelo Caranhato.

NOVO HAMBURGO

Carlão; Maicon, Léo Dagostini, Ricardo Thalheimer e Assis; Henrique, Fidélis, Zotti e Juninho; Branquinho e João Paulo. Técnico - Paulo Henrique Marques.

DETALHES

Local - Estádio Albino Turbay, em Cianorte (PR). Horário - 16 horas. Arbitragem - Marco Ferreira, auxiliado por Douglas Costa e Augusto Ramos (trio mineiro). Transmissão - Rádio ABC.



Jornal NH
PUBLICIDADE

WEBTV

Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS