Olá leitor, tudo bem?

Use os í­cones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, ví­deos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Jornal NH, 99 - Bairro Ideal - Novo Hamburgo/RS - CEP: 93334-350
Fones: (51) 3065.4000 (51) 3594.0444 - Fax: (51) 3594.0448

PUBLICIDADE
Angela Maieski

Prédios abandonados e invasões

Leia artigo de Angela Maieski
14/05/2018 10:00

Angela Maieski - new Angela Maieski é professora e socióloga

De acordo com pesquisa realizada em 2015 pela Fundação Getúlio Vargas, há um déficit de 7,7 milhões de domicílios no País. O programa Minha Casa, Minha Vida, criado em 2009, não conseguiu eliminar a carência de habitação, apesar da construção de 4,5 milhões de unidades, das quais 3,2 milhões foram destinadas à população de baixa renda. Em 2014, o déficit habitacional (segundo a Fiesp/Fundação João Pinheiro) foi de 6,198 milhões de famílias, contra 6,941 milhões em 2010, ocorrendo um redução de 2,8% ao ano. De acordo com esses dados, apesar de redução, o déficit se mantém alto.

Nesse contexto, fazer uso de prédios abandonados em áreas centrais é, muitas vezes, a única maneira de fugir do aluguel e sair da periferia. O prédio que desabou, consumido pelo fogo, abrigava em torno de 150 famílias ou 400 pessoas de acordo com a Secretaria de Habitação de São Paulo.

O coordenador do Movimento Luta por Moradia Digna, Ricardo Luciano, afirma, em entrevista, que o pagamento era de 80 reais para custear a manutenção do local. Alguns moradores relataram pagar entre 350 reais e 500 reais, outros, entre 120 reais e 150 reais. Fazendo a média desses valores, o valor ficaria em 240 reais e, como são 150 famílias, o rendimento obtido seria de R$ 36 mil por mês a título de manutenção. Seria interessante saber quanto desse valor era pago pela energia, água e IPTU do prédio abandonado. Quanto era destinado à manutenção e como era a prestação de contas do valor arrecadado.

A transparência é fundamental. Não é possível criminalizar todos os movimentos sociais, mas, para que isso não aconteça, é importante que exista uma prestação de contas, seja de movimentos sociais ou qualquer órgão representativo de classe.


Jornal NH
PUBLICIDADE

WEBTV

PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS