Olá leitor, tudo bem?

Use os í­cones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, ví­deos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Jornal NH, 99 - Bairro Ideal - Novo Hamburgo/RS - CEP: 93334-350
Fones: (51) 3065.4000 (51) 3594.0444 - Fax: (51) 3594.0448

PUBLICIDADE
Sexto aumento no mês

Consumidores já sentem no bolso disparada no preço da gasolina

Valor do combustível passou para R$ 1,9330, resultando em um aumento de 2,23% em relação ao valor de R$ 1,8908
16/05/2018 08:32 16/05/2018 08:39

Bruna Mattana/GES-Especial
Aumento: reportagem apurou valores da gasolina comum entre R$ 4,159 e R$ 4,299
Após anúncio da Petrobras de reajuste no preço da gasolina, há pouco mais de dez dias o preço dos combustíveis disparou na região. Segundo o aumento para as distribuidoras divulgado pela Petrobras, o valor da gasolina passou para R$ 1,9330, resultando em um aumento de 2,23% em relação ao valor de R$ 1,8908. Essa é a sexta vez consecutiva que a estatal eleva os preços dos combustíveis em maio deste ano no País.

O litro do diesel, por sua vez, teve redução de 0,88%, passando de R$ 2,2361 para R$ 2,2162. Estes valores são os de venda dos combustíveis para as distribuidoras, não ao cliente final.

Em Novo Hamburgo, na manhã de terça-feira (15), de 15 postos de combustíveis pesquisados pela reportagem do Jornal NH, nove estavam cobrando 4,299 o litro da gasolina. O menor valor foi encontrado em um posto do bairro Hamburgo Velho a 4,159.

O gerente de um posto de combustíveis de Novo Hamburgo Sidinei Pieczkowski, 31 anos, destaca que tem havido oscilação diária nos preços. “Isso compromete as vendas”, pontua. O promotor de vendas de outro posto da cidade, Sebastián Loco, 43, disse que a alta foi sentida, mas não influenciou no movimento. “O que ocorre é que tem menos clientes completando ou enchendo o tanque. A maioria está abastecendo valores menores”, fala.

O técnico em informática André Luiz Dias, 34, que abastece o carro diariamente devido ao trabalho, diz que todo aumento pesa no bolso. “Mesmo que seja pouco, quando aumenta para mim já faz diferença. Às vezes eu abasteço pela manhã e está um valor e à tarde já é outro. Seguidamente, ocorre aumento, mas as estradas estão cada vez piores.”

Paridade de importação 

A política de preços adotada em julho do ano passado pela Petrobras para a gasolina e o diesel vendidos às distribuidoras se baseia no preço de paridade de importação, formado pelas cotações internacionais desses produtos mais os custos que os importadores teriam, como transporte e taxas portuárias, por exemplo, esclareceu a empresa. A Petrobras informou que a paridade é necessária porque o mercado brasileiro de combustíveis é aberto à livre concorrência, dando às distribuidoras a alternativa de importar os produtos. O preço considera ainda uma margem que cobre eventuais riscos, como volatilidade do câmbio e dos preços. (Abr)


Jornal NH
PUBLICIDADE

WEBTV

PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS