Olá leitor, tudo bem?

Use os í­cones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, ví­deos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Jornal NH, 99 - Bairro Ideal - Novo Hamburgo/RS - CEP: 93334-350
Fones: (51) 3065.4000 (51) 3594.0444 - Fax: (51) 3594.0448

PUBLICIDADE
A partir do dia 19

Tarifa de energia aumentará mais de 20% em 16 municípios

Aumento foi autorizado ontem pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel)
13/06/2018 09:44 13/06/2018 16:08

A partir do dia 19, clientes atendidos pela Rio Grande Energia (RGE) sofrerão um reajuste médio de 20,58% nas tarifas. A RGE atende 1,4 milhão de unidades consumidoras em 255 municípios do Rio Grande do Sul, sendo 16 cidades nos Vales do Paranhana, Caí, Encosta da Serra e Serra. O aumento foi autorizado ontem pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), que aprovou a quarta revisão tarifária periódica da RGE.

Para os clientes de alta tensão, que incluem as indústrias de grande porte, a alteração será em média de 19,04%. Já a tarifa aplicável aos clientes de baixa tensão, como residências e estabelecimentos comerciais de pequeno porte, terá reajuste de 21,55%.

De acordo com a RGE, o aumento das despesas com a compra de energia e o pagamento dos encargos setoriais tiveram um peso significativo na definição dos novos valores tarifários da concessionária.

Outros casos

Em abril, a Aneel já havia autorizado reajuste médio de 22,47% para clientes da RGE Sul (24,99% para indústrias e 21% para residências), concessionária que atende 24 cidades dos Vales do Sinos e Caí. Em cidades do litoral gaúcho que são atendidas pela Companhia Estadual de Energia Elétrica (CEEE), como Imbé, Osório, Santo Antônio da Patrulha e Tramandaí, a revisão tarifária foi aprovada pela Aneel no final do ano passado. O reajuste médio foi de 30,62%, sendo 29,29% para consumidor e 33,54% para indústria.

De acordo com a Aneel, “a revisão tarifária periódica reposiciona as tarifas cobradas dos consumidores após analisar os custos eficientes e os investimentos prudentes para a prestação dos serviços de distribuição de energia elétrica, em intervalo médio de quatro anos”. Quando isso acontece, não ocorre o reajuste anual.

Entenda o caso

Os cálculos das tarifas de energia elétrica consideram três grandes componentes, que são:
A chamada parcela A, com maior peso no reajuste e que se refere a custos não gerenciáveis, ou seja, que a distribuidora não tem possibilidade de gerenciar (custos com compra de energia, sistema de transmissão e encargos setoriais).

A chamada parcela B, que inclui os custos para a operação da rede elétrica e a remuneração sobre investimentos na expansão e modernização do sistema elétrico.

O terceiro item considerado pelo órgão regulador é o chamado componente financeiro, mecanismo de compensação de valores da parcela A a cada período tarifário, que pode ser adicionado ou deduzido do valor final do kWh da tarifa de energia.

Bandeira vermelha

Outro aspecto que contribui para a conta de luz mais cara é a bandeira tarifária vermelha no patamar 2, que vigora em junho. Com isso, haverá cobrança extra nas contas de luz de 5 reais a cada 100 quilowatts-hora (kWh) consumidos. De acordo com a agência Nacional de energia elétrica (Aneel), a decisão foi tomada em razão do fim do período chuvoso e a redução no volume dos reservatórios das usinas hidrelétricas. Com isso, há a necessidade de usar energia produzida pelas usinas termelétricas, que têm maior custo de produção.

Revisão tarifária
Aumento médio

RGE 20,58%

Cidades: Alto Feliz, Canela, Feliz, Gramado, Igrejinha, Nova Hartz, Nova Petrópolis, Linha Nova, Parobé, Picada Café, Riozinho, Rolante, São Francisco de Paula, Taquara, Três Coroas e Vale Real

RGE Sul 22,47%

Cidades: Araricá, Bom Princípio, Brochier, Campo Bom, Capela de Santana, Dois Irmãos, Estância Velha, Harmonia, Ivoti, Lindolfo Collor, Montenegro, Morro Reuter, Novo Hamburgo, Pareci Novo, Portão, Presidente Lucena, Salvador do Sul, Santa Maria do Herval, São José do Hortêncio, São Leopoldo, São Sebastião do Caí, São Vendelino, Sapiranga e Tupandi.

CEEE 30,62%

Cidades: Imbé, Osório, Santo Antônio da Patrulha e Tramandaí

*Municípios da área de abrangência do Jornal NH


Jornal NH
PUBLICIDADE

WEBTV

PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS