Olá leitor, tudo bem?

Use os í­cones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, ví­deos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Jornal NH, 99 - Bairro Ideal - Novo Hamburgo/RS - CEP: 93334-350
Fones: (51) 3065.4000 (51) 3594.0444 - Fax: (51) 3594.0448

PUBLICIDADE
Seu problema também é nosso

Moradores de Lomba Grande não sabem se foram vítimas de golpe ou da burocracia

Grupo tem contrato de compra e venda de terrenos, mas não conta com energia elétrica
13/06/2018 11:02 13/06/2018 11:03

Bianca Dily/GES- Especial
Moradores lamentam a falta de luz
Com a luta e o esforço de uma vida, moradores da Estrada Porto das Tranqueiras, no bairro Lomba Grande, em Novo Hamburgo, finalmente conseguiram comprar terrenos próprios e construir suas casas. No entanto, há mais de meio ano, o grupo pede a instalação da rede de energia elétrica, que passa a cerca de 200 metros do novo loteamento. Porém, a Prefeitura de Novo Hamburgo alerta para as inconformidades da área apropriada. A comunidade, que argumenta que adquiriu os lotes e apresenta orgulhosa os contratos de compra e venda, não sabe se é vítima de um golpe ou apenas da burocracia.

De acordo com a administração municipal, a ocupação é irregular, tendo passado por parcelamento de solo e danos ao meio ambiente, o que impossibilita a demarcação predial. A Prefeitura salienta que todas as medidas administrativas cabíveis foram tomadas pela Secretaria de Meio Ambiente (Semam) e pela Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação (Seduh), com fiscalizações e notificações ao proprietário e seguem, agora, os trâmites legais na esfera judicial. Enquanto isso, já são em torno de dez casas sendo erguidas no local, algumas concluídas, outras em processo de edificação. Pelo menos 11 pessoas residem na área. Nenhuma delas conta com o fornecimento de energia elétrica. “Não entendemos o que está acontecendo. Temos o contrato de compra e venda dos terrenos e até a liberação do Meio Ambiente para construir. Também já falamos com a concessionária de energia, encaminhamos o projeto, entregamos vários documentos e só nos enrolam”, reclama o funcionário público estadual Ricardo Rivero, 47 anos.

Moradores improvisam

Uma das pessoas que mais sente na pele a falta de energia é o comerciante Márcio André de Campos, 45. Mesmo sem a distribuição da luz, o hamburguense se mudou para o lugar em que pretende chamar de lar e já mora lá há cerca de três meses, com sua esposa e três filhos. “Tive que comprar um gerador, para manter as principais coisas em casa funcionando. Só que ele não dá conta de abastecer o chuveiro, por exemplo. Nós tomamos banho frio mesmo. Para os meus filhos, esquentamos um pouco de água no fogão a gás”, pontua. Após anos de trabalho, o metalúrgico aposentado Horacio Hoppe, 56, resolveu construir uma casa para aproveitar o descanso e o sossego. “Me aposentei, fiz a casa e estava pronto para me mudar. Até agora não consegui por causa da falta de luz e tenho que ficar pagando aluguel. A gente fica triste com isso. Era para ser uma coisa boa.”

Sócios se contradizem

Contatados pela equipe de reportagem do Jornal NH, os sócios que teriam realizado a venda dos terrenos se contradizem e responsabilizam um ao outro sobre as vendas e transferência das posses dos terrenos.

O que diz a RGE sul

Em nota, a RGE Sul afirma que está com todas as forças de trabalho focadas no restabelecimento de energia elétrica para todos os clientes atingidos pelos recentes temporais e que deverá se manifestar sobre o caso nos próximos dias.


Jornal NH
PUBLICIDADE

WEBTV

PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS