Publicidade
Cotidiano | Turismo Porto Alegre

Novo astral com o Guaíba

Com pouco mais de um quilômetro da orla renovada, capital ganha um importante espaço turístico do Gasômetro à Rótula das Cuias

Por Eduardo Andrejew
Última atualização: 14.08.2018 às 17:16

Eduardo Andrejew/GES/Especial
Orla com Usina e atracadouro turístico ao fundo
Após vários meses de espera, desde o final de junho os porto-alegrenses e os visitantes de outras cidades podem finalmente desfrutar da Orla do Guaíba, espaço renovado em um trajeto de 1,3 quilômetro que vai da Usina do Gasômetro até as imediações do Parque da Harmonia, na chamada Rótula das Cuias. O investimento de R$ 71 milhões (recursos da CAF - Banco da América Latina) deu forma ao projeto de paisagismo do arquiteto Jaime Lerner.

A proposta visa incentivar a coexistência da população com o Lago Guaíba. Tem atracadouro turístico para barcos de passeio, espaço para restaurante sobre as águas, espaços para bares, parque infantil, academias ao ar livre, quadras esportivas, passeio público com arquibancadas para contemplação do pôr-do-sol, ciclovia, deques de madeira com bancos, jardins aquáticos, postes com iluminação de LED e pista de caminhadas. “É agora o nosso maior ícone de turismo e muita gente da região metropolitana vem para cá”, orgulha-se Roberto Snel, diretor de Turismo da Secretaria de Desenvolvimento Econômico de Porto Alegre.

A orla, agora batizada de Moacyr Scliar, em homenagem ao escritor gaúcho morto em 2011, é uma das ações do projeto Orla-POA, que propõe uma série de ações para requalificar diferentes áreas de Porto Alegre, incluindo o Centro Histórico e vias urbanas mais movimentadas da capital gaúcha.

Nem tudo ainda está pronto. A própria Usina do Gasômetro segue inacessível ao público e só será devolvida ao público daqui a cerca dois anos. Mas, pelo visto, os porto-alegrenses compraram a ideia e já estão frequentando o espaço renovado e aproveitando o que ele já oferece. De acordo com Snel, a cada final de semana o lugar recebe de 30 mil a 50 mil visitantes. Mesmo durante a semana, explica, o local é bastante frequentado.

Como chegar - Pela BR-116 ou pela BR-448, é preciso acessar a BR-290 e depois seguir pela Av. Castelo Branco, entrar na Av. Mauá e seguir até a Av. Presidente João Goulart. A Usina do Gasômetro e a orla ficam à direita.


O QUE HÁ

Atracadouro turístico - A usina pode estar fechada, mas o entorno está liberado para o público. No espaço há uma estátua em homenagem à cantora Elis Regina. Seguindo mais adiante, à direita, é possível acessar o atracadouro turístico e fazer um passeio de barco. O local também é um dos deques para contemplação do Guaíba. São três opções: Noiva do Caí, o Porto Alegre 10 e o Cisne Branco. Valores, em geral, variam em torno de 20 reais a 30 reais (e há meia entrada para idosos acima de 60 anos e crianças de zero a dez anos). Há passeios mais caros em horários combinados, como o ecológico destinados a grupos escolares e que custa 50 reais (com lanche e guia inclusos).

Olhos Atentos - A Bienal do Mercosul de 2005 doou à orla próxima ao Gasômetro três obras. A mais emblemática é o mirante Olhos Atentos, do artista José Resende. Curiosamente, o trabalho artístico é uma reflexão sobre a desatenção da população da cidade em relação aos seus próprios pontos turísticos. Trata-se de uma estrutura na qual as pessoas podem subir e ter uma vista privilegiada das águas. Interditado desde 2009 por sofrer deterioração, o mirante foi devolvido ao público neste ano, tornando-se um dos pontos mais disputados do local. O acesso é limitado para 20 pessoas de cada vez por motivos de segurança. Nos finais de semana sempre se forma uma pequena fila na entrada.

Bem perto das águas - Quem não está disposto a ficar na fila do mirante Olhos Atentos pode optar pelos deques, que avançam sobre as águas e são mais espaçosos. Ao longo da orla há quatro deles – contando com o do atracadouro turístico. Todos com bancos em forma de onda para quem pretende apreciar a vista por várias horas. Para aqueles que desejam caminhar sobre o Guaíba, há duas travessias sobre as águas, com espaço suficiente para passeios e paradas para uma selfie.

Restaurantes e bares - A vedete é o restaurante panorâmico sobre as águas, que deverá abrir até setembro. Com cerca de 250 lugares, vai oferecer almoço e happy hour. Na orla há espaço para quatro bares com vista para o Guaíba. Um deles deverá entrar em funcionamento em breve. E mais dois já contam com vencedores de editais.

Áreas de lazer - Um playground, pistas de caminhada, pista para ciclistas, quatro quadras poliesportivas (duas de piso e duas de areia) e mais duas academias ao ar livre completam o conjunto, sem falar nas arquibancadas de concreto ao longo de todo o trajeto. Ou seja, não faltam motivos para se passar mais tempo junto ao Guaíba.

Para o futuro - O diretor de Turismo, Roberto Snel, explica que esta é apenas a primeira parte de um projeto para orla. No momento foi contemplado pouco mais de um quilômetro, mas, segundo ele, as intervenções vão abranger 73 quilômetros. Ele prevê uma Porto Alegre com a economia voltada para a orla como um todo. Estão em andamento as obras de revitalização do Cais Mauá, de responsabilidade do governo do Estado e que vão se ligar ao espaço da área do Gasômetro no futuro.


Do outro lado da avenida

Eduardo Andrejew/GES/Especial
Feira do Aeromóvel
Quem cruzar a Avenida Presidente João Goulart pode encontrar coisas interessantes. Além da estrutura que serviu de teste para o protótipo do primeiro aeromóvel e está toda colorida graças a intervenções de grafiteiros, há a Praça Júlio Mesquita, que também foi remodelada, dentro do projeto de revitalização da orla. O local conta com quadra esportiva, equipamentos de ginástica bancos e um gramado onde costumam ocorrer eventos como a Feira do Aeromóvel, que reúne música, diversão, artesanato, venda de cervejas artesanais, entre outras coisas. A feira vem ocorrendo a cada mês, sempre aos sábados. É preciso estar atento às datas. Confira no Facebook (https://www.facebook.com/aerofeira/) quando será a próxima. A mais recente ocorreu no último dia 4.


  • Pessoas contemplam o pôr-do-sol no Olhos Atentos
    Foto: Eduardo Andrejew/GES/Especial
  • Deque permite aproximação maior com as águas
    Foto: Eduardo Andrejew/GES/Especial
  • São apenas 20 pessoas cada vez no mirante Olhos Atentos
    Foto: Eduardo Andrejew/GES/Especial
  • Arquibancadas de concreto também são populares
    Foto: Eduardo Andrejew/GES/Especial
  • Pessoas contemplam o Guaíba do mirante Olhos Atentos
    Foto: Eduardo Andrejew/GES/Especial
  • Passarelas têm bom espaço para circular e fazer fotos
    Foto: Eduardo Andrejew/GES/Especial
  • Crianças em uma das obras na orla
    Foto: Eduardo Andrejew/GES/Especial
  • Há quatro deques para contemplar o Guaíba
    Foto: Eduardo Andrejew/GES/Especial
  • Sua duas passarelas sobre as águas
    Foto: Eduardo Andrejew/GES/Especial


Mais praticidade no seu dia a dia: clique aqui para receber gratuitamente notícias diretamente em seu e-mail!

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.