Olá leitor, tudo bem?

Use os í­cones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, ví­deos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Jornal NH, 99 - Bairro Ideal - Novo Hamburgo/RS - CEP: 93334-350
Fones: (51) 3065.4000 (51) 3594.0444 - Fax: (51) 3594.0448

PUBLICIDADE
Motores
Entrevista

''Vamos lançar 25 novos veículos'', afirma presidente da Fiat Chrysler

Antonio Filosa fala como serão investidos os R$ 14 bilhões recentemente anunciados
13/09/2018 09:15 13/09/2018 09:16

Falante e carismático como um autêntico italiano, o engenheiro Antonio Filosa, 44 anos, assumiu em março a presidência da FCA – Fiat Chrysler Automobiles para a América Latina com a missão de reestruturar a filial e torná-la novamente líder de mercado, desta vez com as marcas Fiat e Jeep. Para renovar o portfólio de veículos no Brasil, tem em mãos um cheque de R$ 14 bilhões. Entre as novidades está, para 2020, o primeiro SUV compacto da Fiat, como revelou o sucessor de Stefan Ketter em entrevista concedida no último dia 31 durante almoço com jornalistas em Porto Alegre.

Como serão investidos os R$ 14 bilhões recentemente anunciados?
Antonio Filosa - Os recursos fazem parte dos investimentos globais do Grupo FCA, que totalizarão 45 bilhões de euros no mundo nos próximos seis, sete anos. Serão destinados às nossas quatro regiões (América do Norte, Europa/Oriente Médio, Ásia/Pacífico e América Latina). Desse montante, 9 bilhões de euros são em tecnologias transversais, que todo mundo pode ter acesso. Na América Latina, vamos investir R$ 14 bilhões, distribuídos entre as duas marcas principais (Fiat e Jeep), com a possibilidade de introduzir uma terceira ou quarta marca, o que estamos avaliando conforme a evolução dos mercados brasileiro, argentino, chileno, peruano e venezuelano.

Qual a importância da Fiat neste planejamento estratégico?
Filosa - Queremos consolidar a Fiat e investir em produtos nos segmentos aonde a Fiat ainda não tem presença, como SUV. Queremos crescer e consolidar Jeep, seja em capacidade de fábrica, seja no fortalecimento da gama de veículos.

Quantos carros novos serão lançados no Brasil nos próximos anos?
Filosa - Quando falamos em carros totalmente novos ou profundamente modificados, a soma totaliza 25 veículos nos próximos anos. Além disso, vamos lançar novas tecnologias: motores que vão completar a gama que temos, expansão do uso das transmissões automáticas e aposta em serviços conectados. Isso faz parte de onde queremos chegar.

A Fiat foi líder de mercado durante 13 anos. A estratégia inclui retomar a liderança, que sempre foi motivo de orgulho para a filial brasileira?
Filosa - Em 2009, quando a Fiat se juntou com o grupo Crhysler, na concepção da FCA a nossa cultura passou a ser de monomarca a multimarca. Então, deveríamos trabalhar com Fiat, Alfa Romeo em algumas regiões do mundo, mas também com Jeep, Chrysler, Dodge, RAM e tudo o que a Chrysler trazia. Nesta estratégia multimarcas, a ampliamos a gama de produtos e aumentamos o número de fábricas.

Como isso ocorreu?
Filosa - Por exemplo: na Fiat, tínhamos uma planta maior em Betim e uma menor em Córdoba, na Argentina. Agora somos FCA como um polo automotivo Fiat em Betim, outra planta em Córdoba e o polo automotivo Jeep em Pernambuco. Nesta lógica, em um primeiro momento segmentamos o mercado: SUV passou a ser Jeep, carros de passeio, a maioria das picapes e veículos comerciais são Fiat. E com a soma dos dois, embora tenhamos perdido a liderança, como FCA agora somos líderes de mercado. No futuro, queremos estratificar mais finamente o mercado para achar espaços para SUV para a Fiat e da Jeep também. Queremos expandir ainda mais, sem canibalização, o poder das nossas marcas.

De uma forma mais imediata, qual a estratégia para este ano?
Filosa - Neste ano temos que fechar líderes como FCA, a junção de Fiat e Jeep. Depois, temos que ter um ano de crescimento gradual, fortalecendo os dois brands. Em 2020 e 2021, quando tivermos a maioria dos 25 novos carros, queremos ser líderes como Fiat sozinhos e crescer ainda mais como Jeep. Hoje uma marca não pode ser líder sozinha se não tem SUVs, pois o mercado é 20% do total. E só não é maior porque a Fiat ainda não entrou no segmento. Quando oferecer seus próprios SUVs, vai crescer 20%. As outras estão chegando também: Volkswagen, GM. No nosso caso, o Compass e o Renegade são líderes. Agora é hora de um passo a mais: precisamos de 18 meses para desenvolver os produtos.

Então podemos esperar um SUV Fiat em 2020?
Filosa - Em 2020, 2021, a cada 6 meses teremos uma onda de novos produtos, entre eles não apenas um, mas pelo menos dois SUVs da Fiat e, talvez, um terceiro.


Jornal NH

Motores

por Adair Santos
abcmotores@gruposinos.com.br

Gasolina na veia - O tricampeão de Fórmula 1 Nelson Piquet sempre alardeava que nas suas veias não corria hemoglobina, e sim gasolina. Uma anomalia genética que atinge milhões de pessoas no mundo e, pelo jeito, não tem cura. Jornalista há 15 anos, Adair Santos é um desses anormais que literalmente respiram tudo que diz respeito a veículos. Editor do caderno Motores, que circula semanalmente às quartas-feiras no Jornal NH, Jornal VS e Diário de Canoas, é apaixonado por carros, motos e aviões - ou seja, tudo o que tem motor, exceto a maquininha de obturação do dentista. Motores invade a rede - Os carros recém-lançados, aqueles protótipos bizarros que talvez nunca cheguem às ruas, dicas úteis sobre veículos e testes exclusivos. Além da versão impressa, que circula semanalmente às quartas-feiras no Jornal NH, Jornal VS e Diário de Canoas, agora as notícias sobre veículos contam com este importantíssimo espaço virtual para serem divulgadas. Não deixe de participar mandando sugestões e, quem sabe, até um flagrante fotográfico de um veículo que ainda está em fase de testes e futuramente vai ser fabricado no Brasil. Eu e minha máquina - Se você tem orgulho da sua máquina, seja ela um carro antigo ou novo, motocicleta, um triciclo ou até bicicleta, envie sua foto. Junto, informe seu nome completo e idade, cidade onde reside, telefone para contato, marca, modelo, ano de fabricação do veículo e desde quando tem ele na garagem. Mas atenção: não vale mandar só a foto do carro ou moto, você também tem que aparecer na imagem. Então, mãos à obra: passe uma cera na lataria, um gel no cabelo e faça o registro fotográfico.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS