Publicidade
Acompanhe:
NH Hoje
Notícias | País Nova política

Petrobras quer manter preço da gasolina estável por até 15 dias

Chamado de mecanismo de Hedge, ele será opcional e visa reduzir a variação do preço do combustível sem afetar o resultado financeiro da estatal

Por Agência Brasil
Última atualização: 07.09.2018 às 14:37

Foto por: AFP
Descrição da foto: Anúncio foi feito pela Petrobras
A Petrobras anunciou nesta quinta-feira  (6), no Rio de Janeiro, um mecanismo financeiro que permitirá manter o preço da gasolina estável por até 15 dias. Chamado de mecanismo de Hedge, ele será opcional e visa reduzir a variação do preço do combustível sem afetar o resultado financeiro da estatal.

A nova ferramenta foi anunciada pelo diretor financeiro da Petrobras, Rafael Grisolia, e pelo diretor de refino e gás natural, Jorge Celestino, que concederam uma entrevista para explicar a decisão.

O mecanismo é resultado de uma evolução na precificação de combustíveis no Brasil e não altera a política de preços da Petrobras, disseram. "Em momentos de maior volatilidade, a gente tem a possibilidade de usar esses instrumentos de modo que o resultado financeiro da companhia não se altere", afirmou Grisolia.

Preços podem ser contidos

Em vez de reajustar os preços diariamente, a Petrobras poderá segurá-los por um período de, no máximo, 15 dias, realizando operações financeiras no exterior.

Ao final do período, o reajuste aplicado será sempre igual ao resultado das variações diárias do barril de petróleo e do câmbio, de modo que a Petrobras mantenha a paridade com os preços no mercado internacional.

Segundo Rafael Grisolia, realizar essa operação por um período maior do que 15 dias impactaria os resultados da Petrobras.

A decisão já foi anunciada para o mercado e está em vigor, segundo os diretores, com o instrumento à disposição da Petrobras a partir desta quinta.

Veja a nota do Sulpetro sobre a alteração na frequência de preços

"O Sulpetro - Sindicato que representa os postos de combustíveis no RS - apoia o posicionamento da Federação Nacional do Comércio de Combustíveis e de Lubrificantes (Fecombustíveis), que considera que a alteração na frequência dos reajustes da gasolina pela Petrobras, com a adoção de mecanismo que poderá manter os preços estáveis por até 15 dias nas refinarias, pode trazer maior previsibilidade ao mercado.

Segundo a Petrobras, a maior flexibilidade na frequência de reajustes não alterará o resultado final das variações do preço da gasolina decorrentes dos movimentos de elevação ou de queda na cotação internacional e na taxa de câmbio, ao final de cada período - seja por intervalos de tempo mais longos (até 15 dias) ou diários.

Sulpetro e Fecombustíveis ressaltam que o mercado é livre e competitivo em todos os segmentos, cabendo a cada posto revendedor decidir se irá repassar ou não os aumentos ao consumidor, bem como em qual percentual, de acordo com suas estruturas de custo. Ambas entidades também não interferem no mercado e zelam pela livre concorrência e pela livre iniciativa, em defesa de um Brasil melhor para todos."

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.