Olá leitor, tudo bem?

Use os í­cones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, ví­deos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Jornal NH, 99 - Bairro Ideal - Novo Hamburgo/RS - CEP: 93334-350
Fones: (51) 3065.4000 (51) 3594.0444 - Fax: (51) 3594.0448

PUBLICIDADE
Cachoeirinha

Polícia investiga desaparecimento de cunhados; mulher foi achada morta na RS-020

Evandro Ferreira ainda não foi localizado
13/09/2018 17:12 14/09/2018 09:51

Foto por: Divulgação
Descrição da foto: Evandro Ferreira e Eliane Silva da Silva
A Polícia Civil investiga o desaparecimento dos cunhados Evandro Ferreira, 42 anos, e da administradora Eliane Silva da Silva, 52, de Cachoeirinha. Eles saíram para trabalhar na última terça-feira e não foram mais vistos. Na tarde desta quinta-feira (13), os investigadores confirmaram que o corpo de Eliane e o carro de Evandro foram encontrados na RS-020, próximo à Parada 100, em Gravataí. 

O corpo da administradora estava perto do porta-malas do carro, com marca de pelo menos um golpe na cabeça, coberto por capim em um matagal e perto de sua bolsa, abandonada com dinheiro e documentos. Responsável pela investigação, o titular da 1ª Delegacia da Polícia Civil, delegado Leonel Baldasso, não confirma qual a causa da morte.

Evandro permanece desaparecido desde terça-feira, quando ele e a cunhada saíram pela manhã de casa, na Rua Carlos Leopoldo Schuler, no bairro Parque da Matriz, em Cachoeirinha. A saída dos dois juntos pela manhã era rotineira. "Ele deixava minha irmã no trabalho, uma revenda de carros na Parada 55, e depois ia até Gravataí, onde está fazendo um curso profissionalizante no Senac", conta Janete Silva, 47, mulher de Evandro.

Janete e Evandro moram no mesmo local com Elaine. O casal e a filha no piso inferior da residência, e Elaine no andar superior, com os pais. Funcionária da revenda há 20 anos, Elaine teve sua ausência sentida, tanto que a irmã recebeu um telefonema buscando informações sobre a falta ao trabalho. "Nem sei se algum dia ela faltou, por isso telefonaram perguntando se havia acontecido algo com ela, o que ainda não sabemos", contou Janete.

Informações sobre o caso podem ser passadas à Polícia Civil pelos telefones 197 e 3470-1122, da 1ª DP.






Jornal NH
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS