Olá leitor, tudo bem?

Use os í­cones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, ví­deos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Jornal NH, 99 - Bairro Ideal - Novo Hamburgo/RS - CEP: 93334-350
Fones: (51) 3065.4000 (51) 3594.0444 - Fax: (51) 3594.0448

PUBLICIDADE
Investigação

Corpos encontrados em vala de Portão eram de jovens sequestrados em Rolante

Cadáveres foram localizados no último sábado. Caso é investigado de maneira sigilosa por policiais das duas cidades.
19/09/2018 13:59 19/09/2018 14:11

Foto por: Divulgação
Descrição da foto: Cadáveres foram localizados no último sábado (15)
A partir da confirmação das identidades dos dois homens encontrados mortos em uma vala na estrada dos Lemmertz no interior de Portão a Polícia Civil começa a montar as peças de um quebra-cabeça para desvendar um crime que começou no mês passado, com um sequestro.

Segundo a polícia, as vítimas, identificadas como Gabriel Oliveira Silceda, de 18 anos,e Luciano Lima da Silva, 24, haviam sido arrebatadas no último dia 24 de agosto em Rolante, cidade onde residiam. Os cadáveres dos dois foram encontrados 22 dias depois, na madrugada do último sábado (15), por pessoas que faziam uma trilha na estrada, próximo a uma chácara que fica distante cerca de 600 metros do Cemitério Municipal São Lázaro.

De acordo com o chefe do setor de investigação da Delegacia de Polícia (DP) de Portão, Fabrício Márcio Rempel, a suspeita é de que os dois tenham sido mantidos em cativeiro por alguns dias antes de serem executados na cova onde foram encontrados. “Os corpos estavam em estado de decomposição, o que nos leva a crer que as vítimas foram mortas há sete ou, no máximo, 10 dias antes de serem localizadas”, explica.

Segundo Rempel, o homem mais velho possuía vários antecedentes por posse de drogas. Já o outro não tinha passagens pela polícia. Também conforme ele, as famílias não foram contatadas pelos sequestradores para a exigência de resgate durante todo o período em que o paradeiro das vítimas era desconhecido.

Apesar de já possuir uma linha de investigação, a polícia diz manter o andamento dos trabalhos em sigilo, sem informar qual seria a possível motivação para o crime. O caso é apurado de forma conjunta por policiais civis de Portão e também de Rolante.

Informações que possam auxiliar a polícia nas investigações ou na identificação dos suspeitos, podem ser repassadas pelo telefone 3562-1349.


Jornal NH
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS