Olá leitor, tudo bem?

Use os í­cones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, ví­deos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Jornal NH, 99 - Bairro Ideal - Novo Hamburgo/RS - CEP: 93334-350
Fones: (51) 3065.4000 (51) 3594.0444 - Fax: (51) 3594.0448

PUBLICIDADE
Trânsito

Quatro morrem a cada feriadão de Nossa Senhora Aparecida na região

Operação Viagem Segura começou nesta quinta e segue até a meia-noite de domingo
11/10/2018 08:18 11/10/2018 08:37

Foto por: Arquivo/GES
Descrição da foto: RS-239 é uma das rodovias mais violentas no trânsito no RS
A Operação Viagem Segura começou à zero hora desta quinta-feira (11) e segue até domingo. Na região, de 2007 a 2017, foram 48 mortes nos feriados e feriadões de Nossa Senhora Aparecida. Uma grande força-tarefa foi montada para intensificar a fiscalização nas estradas gaúchas, tanto nas rodovias que ligam cidades ao Litoral, Serra e interior do Estado. A partir desta noite, a maioria dos motoristas começa a pegar as estradas para aproveitar os três dias de descanso. Conforme estudo realizado pelo Departamento Estadual de Trânsito (Detran-RS), 52% das mortes em rodovias – federais e estaduais – ocorreram nos dias de ida e intermediários, no feriado de Nossa Senhora Aparecida.

Segundo o professor do curso de Formação para Instrutores de Trânsito da Universidade Feevale, Eliseu Carlos Raimundo, um dos segredos para evitar problemas é procurar uma oficina mecânica e fazer boa revisão no veículo. “Ainda há tempo para que os condutores tomem os cuidados preventivos, façam balanceamento, verifique as condições do freio para fazer uma boa viagem”, reforça. Além disso, estar atento ao trânsito é fator preponderante. “É necessário redobrar a atenção em rodovias de grande circulação, especialmente quando apresentem condições adversas. As estradas também podem ser uma grande incógnita, por conta das manutenções, especialmente nas BRs 101 e 290 (free way)”, complementa o professor.

Entretanto, 48% dos acidentes registrados ao longo do feriado de 12 de outubro no Estado ocorrem nas cidades, e não em rodovias. Raimundo ressalta que os índices não causam estranheza. “Pelo fato dos municípios, geralmente, ficarem mais vazios, os motoristas não costumam ter a mesma atenção nas travessias e cruzamentos. Passam sinal fechado, trafegam sem cinto de segurança. Além disso, ainda há o consumo de bebida alcoólica”, afirma.



Rodovias mais mortais

Das 233 mortes contabilizadas entre 2007 e 2017, 48 delas ocorreram na região de abrangência do Jornal NH, que envolve 44 municípios. Nas rodovias estaduais, motoristas e passageiros perderam a vida em praticamente todas as estradas de grande circulação. O maior índice está concentrado na RS-239, com cinco óbitos, sendo dois em Taquara e o restante contabilizado em Novo Hamburgo, Sapiranga e Araricá. Além disso, ainda aconteceram mortes na RS-474, 115, 452, 389, 122, 020 e 240. As estradas federais, por sua vez, também não ficam para trás. As Brs 290, em Santo Antônio da Patrulha, e 116, entre Novo Hamburgo e São Leopoldo, apresentaram duas mortes cada. Já a BR-386, em Montenegro, também entrou na estatística, já que teve uma morte computada.


Planejar horários de ida e de volta é importante

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) promete montar um esquema especial para garantir um feriadão tranquilo no trânsito gaúcho. O coordenador da comunicação social da PRF, inspetor Alessandro Castro, comenta que os motoristas devem estar atentos aos horários mais indicados para pegar a estrada e iniciar sua viagem. Hoje, a recomendação é que os motoristas utilizem as rodovias até as 17 horas. Amanhã, a polícia rodoviária indica que, antes das 8 e após as 11 horas, são os momentos mais indicados para fazer o deslocamento.

A expectativa é de fluxo intenso de veículos nas BRs 290 (free way) e 386, isto tanto na ida, quanto na volta. “Nossa preocupação é o domingo. Acreditamos que o movimento nas rodovias será tão intenso quanto no feriado de 7 de setembro, quando recomendamos que os condutores comecem a voltar antes das 14 ou após as 22 horas”, afirma. Castro complementa que a PRF terá efetivo reforçado durante o feriadão.


5,3 milhões de veículos fiscalizados

A conscientização e a fiscalização são dois elementos essenciais durante a Operação Viagem Segura. Ao longo de 93 edições, o Detran-RS acredita que vem contribuindo para a diminuição no índice de acidentes. Os números comprovam que, de 2011 para cá, as mortes ocasionadas pela imprudência no trânsito caíram. O diretor-geral do órgão, Paulo Roberto Kopschina, enfatiza que nestes sete anos de trabalho conjunto, envolvendo o Comando Rodoviário da Brigada Militar, Polícia Rodoviária Federal e a sociedade, 5,3 milhões de veículos foram fiscalizados. “Isto corresponde a 80% da frota de todo o Estado”, exemplifica Kopschina.

“Em 2017, a média de mortes foi de 6,3 vítimas por dia, durante este mesmo feriado. Em outros anos, chegamos a ter picos de 12 vítimas por dia”, complementa. Além disso, o trabalho de conscientização não envolverá apenas os condutores. Agentes realizarão visitas nas estações rodoviárias do Estado para sensibilizar os passageiros de transporte coletivo para que utilizem o cinto de segurança durante as viagens. “Temos que educar mais, mas também fiscalizar mais”, reforça o diretorgeral do Detran-RS.


Jornal NH
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS