Publicidade
Cotidiano | Viver com saúde Cuidados com a visão

Metade da população mundial será míope em 2050

Pausa no computador a cada duas ou três horas de trabalho e a lavagem correta até dos cílios previnem doenças

Por Adriana Lima
Última atualização: 17.10.2018 às 14:44

Esfregue bem os olhos ou limpe os seus óculos e preste atenção nestes dados: segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS) cerca de 27% da população mundial era míope em 2017, ou seja, precisava de lentes de grau para enxergar bem objetos mais distantes. A estimativa para 2050 é de que esta taxa chegue a 52%, ou seja, mais da metade da população terá dificuldade em enxergar bem, além do aumento do grau das pessoas que já eram míopes. E o mal está chegando cada vez mais cedo, impulsionado pelo uso excessivo de aparelhos eletrônicos.

O diretor médico da São Pietro Saúde, conveniada que atende aos pacientes que chegam ao Hospital de Portão, Luciano Zuffo, lembra os efeitos negativos dessa exposição constante. “É o que chamamos de estresse ocular, causado por esse tempo todo na frente da tela, forçando a visão, e isso faz com que as patologias e doenças oculares aumentem. A cada duas ou três horas é preciso dar uma pausa, sair da frente do computador. É importante também não ler em lugares muito escuros, principalmente naquela leitura que faz ‘dormir mais rápido’, pois prejudica a visão. E ainda sempre ter consultas com o oftalmologista, porque o olho vai se ‘autorregulando’, assim às vezes a pessoa tem uma patologia e nem se dá conta disso, o que só é visto em uma consulta oftalmológica”, explica.

Outros cuidados também montam a lista da busca pela saúde ocular. “Os óculos sem proteção dos raios ultravioletas não protegem da exposição solar, o que faz com que você tenha alguma alteração da visão a longo prazo. Além disso, uma alimentação rica em vitaminas A, D e E também ajuda aos pacientes a ter uma preservação maior da saúde da visão”, acrescenta.

Quando o momento é de buscar um oftalmologista?

Brasileiros e a velha mania de dar um jeitinho em tudo e ir adiando a consulta ao oftalmologista… “Qualquer alteração que a pessoa tenha no dia a dia, precisa buscar o médico. E sem esquecer das crianças: os pais precisam perceber se ela não consegue se concentrar direito, se reclama de cefaleia [dor de cabeça], que não consegue ver direito. Vários testes e exames são feitos, às vezes se imagina um problema e o exame aponta uma outra patologia, outra causa. O indicado é ir ao oftalmologista pelo menos uma vez por ano ou uma vez a cada dois anos para os mais jovens, até os 40 anos, e às crianças é sempre recomendado na primeira infância, depois de três em três anos, para fazer uma revisão e saber se está tudo bem ou detectar qualquer alteração”, cita o médico.

Atendimento em Portão

Foto por: Adriana Lima/GES-Especial
Descrição da foto: A comerciante Odeti Polo, 56 anos, esteve no Hospital de Portão na semana passada para uma consulta. "Há tempos uso óculos, todos os anos faço a revisão e daí verifico se precisa trocar a lente", diz. Além dela, cerca de 8 mil pacientes de 13 cidades da região são atendidos mensalmente. Parceria firmada entre o hospital e a São Pietro Saúde ainda possibilitou à região o acesso com habilitação federal para tratamento do glaucoma, um dos poucos no RS

Além dos moradores de Portão, o Serviço de Oftalmologia neste hospital recebe pacientes de Araricá, Campo Bom, Dois Irmãos, Estância Velha, Ivoti, Lindolfo Collor, Morro Reuter, Nova Hartz, Portão, Presidente Lucena, Santa Maria do Herval, São José do Hortêncio e Sapiranga, via central de regulação do Estado. “A São Pietro e o Hospital de Portão realizam atendimento de oftalmologia todos os dias da semana, são quase 8 mil pacientes por mês e realizamos uma média de 100 cirurgias mensalmente, em pacientes com problemas de catarata e outras patologias minimamente invasivas, como pterígio e calázio. O atendimento é realizado por um oftalmologista; o paciente chega, é feita uma triagem, passa em consulta e feito o diagnóstico. Em menos de 60 dias ele já vai para a cirurgia, tudo via Sistema Único de Saúde, SUS”, informa.

Entre os próximos passos da unidade está a expansão para pacientes de Montenegro, o que deve ocorrer nos próximos 60 dias, e incremento dos serviços. “Ainda não temos a alta complexidade, mas a ideia é que a curto ou médio prazo tenhamos este atendimento integral. Para o que não pode ser feito aqui, conforme o contrato de referência e contra referência, o paciente é encaminhado via sistema para onde ele terá esse atendimento especializado”, informa o médico.

Sabão nos olhos sim!

A enfermeira responsável técnica da oftalmologia do Hospital de Portão, Viviane Michele de Camargo, dá dicas sobre a higiene dos olhos. “É importante fazer a lavagem dos olhos e cílios. Temos o canal lacrimal que vai acumulando resíduos, então quando é preciso ter um sabonete líquido, um xampu de criança, pois assim realmente fica higienizado”, explica.

E os óculos sem grau?

Mais do que um apoio para enxergar, os óculos se tornaram acessório da moda. E a versão sem grau? “O vidro desse tipo de óculos, se não tiver um tratamento, pode provocar um aumento da captação de raios ultravioletas para dentro do olho, pois ali não terá nada que faça o antirreflexo ou proteja. Então, se usar, deve ser um óculos preparado, assim a pessoa não terá problema algum. A diferença é que apenas não verá diretamente, é como se tivesse um vidro na sua frente. Agora, se forem óculos comprados por aí sem procedência, corre risco por conta de uma magnificação da luz para o olho, até mesmo de queimaduras se ficar muito tempo exposta ao sol”, destaca o médico.


Receba notícias diretamente em seu e-mail! Clique aqui e inscreva-se gratuitamente na nossa newsletter.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.