Olá leitor, tudo bem?

Use os í­cones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, ví­deos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Jornal NH, 99 - Bairro Ideal - Novo Hamburgo/RS - CEP: 93334-350
Fones: (51) 3065.4000 (51) 3594.0444 - Fax: (51) 3594.0448

PUBLICIDADE
Música

Festival de Coros vai até sábado na Sociedade Aliança

Na primeira noite, público assistiu à apresentação de cinco grupos corais
08/11/2018 10:55 08/11/2018 11:06

Bruna Mattana e Susi Mello

Foto por: Rafael Petry/PMNH
Descrição da foto: Meninas cantoras: grupo se apresentou ontem à noite

A primeira noite do 53º Festival de Coros do Vale do Sinos, que começou nesta quarta-feira e segue até sábado (10), confirmou a expectativa dos organizadores. As vozes dos corais encantaram quem esteve presente. Ontem, o público prestigiou a apresentação de cinco grupos hamburguenses: Meninos Cantores, Coro de Vozes Masculinas, Meninas Cantoras, Coro Sinfônico Comunitário Feevale e Coral Entretantos. Nesta quinta-feira, a partir das 20 horas, a Sociedade Aliança de Novo Hamburgo receberá sete coros, dos quais dois internacionais. A entrada é gratuita.

Importância

O secretário de cultura de Novo Hamburgo, Ralfe Cardoso, falou sobre as orquestras nas escolas municipais. "Em 2019, são mais de mil alunos aprendendo instrumentos musicais. É cada vez mais difícil trabalhar com música, mas cada vez mais necessário. Esse é um evento que abrange todas as idades e mostra o trabalho realizado no Município, que é de muita qualidade. No sábado, teremos uma reunião com representantes dos coros da cidade e vamos traçar diretrizes para o próximo ano", pontua.

O presidente da Associação de Coros de Novo Hamburgo (Ascornh), Telmo Silva, destaca que o público pode esperar ao longo de todas as noites um trabalho de qualidade desenvolvido pelos coros, proporcionando uma integração entre todos. "Além disso, teremos coros estrangeiros", frisa. Segundo a representante da Ascornh, Lia Regina Streit, coralista há 40 anos, o canto coral é um resgate da cultura. "A música é uma espécie de conversa com a alma. A arte faz parte da natureza humana", diz. A estudante Júlia Scheifler, 14, canta há 4 anos nas Meninas Cantoras. "A música me traz paz de espírito. O coral me ajudou em muitas coisas, principalmente a ter disciplina."



Jornal NH
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS