Olá leitor, tudo bem?

Use os í­cones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, ví­deos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Jornal NH, 99 - Bairro Ideal - Novo Hamburgo/RS - CEP: 93334-350
Fones: (51) 3065.4000 (51) 3594.0444 - Fax: (51) 3594.0448

PUBLICIDADE
Arte

Transformações da rotina em exposição em Campo Bom

Travessia reúne mais de 20 obras do artista plástico Juarez Sander no Espaço Cultural Dr. Liberato
06/04/2019 11:22 06/04/2019 11:23

Foto por: Iara Sander/Divulgação
Descrição da foto: Questionamento: os limites impostos pela vida moderna
Obras do artista Juarez Sander, com a participação do artista convidado Ives Vergara, estão expostas até o dia 22 deste mês no Espaço Cultural Dr. Liberato. Os trabalhos têm a intenção de chamar o espectador para uma reflexão sobre a humanidade e como a tecnologia vem fazendo parte do cotidiano humano, além de abordar quais os limites da interação tecnológica na sociedade.

A mostra Travessia reúne obras que mostram as verdades misturadas ao imaginário, cenas possíveis e prováveis de uma época revolucionária. Os trabalhos carregam o passado, retratam o presente e projetam o futuro da humanidade em poucas gerações. A exposição está na Galeria Municipal de Arte de Campo Bom, no Espaço Cultural. A visitação é de segunda-feira à sexta-feira, das 8 horas às 17h30, e aos sábados, das 9 horas às 12h30.

Sander, natural de Campo Bom e morador do bairro rural hamburguense Lomba Grande, explica que o visitante poderá visualizar mais de 20 telas pintadas com tintas acrílicas. A mostra é estruturada em três etapas. Na primeira é possível verificar imagens de uma rotina mais sossegada, como a avó cozinhando em fogão à lenha, as crianças brincando no balanço ou o pai levando a criança para pescar.

Mudanças

Na etapa seguinte, a vida tecnológica aparece e é aí que aparecem telas como a de uma forma metalizada de um ser, as que transmitem imagens de inteligência artificial ou acelerador de partículas. Já na última e terceira etapa surgem as consequências, como o lixo, poluição, riqueza, desigualdades com valorização do “ter” em confronto com o “ser”.

“E assim nossas posses materiais nos afastaram de nós mesmos, e nos afastaram um do outro, ao passo que a ciência vai descobrindo novas maneiras para prolongar a nossa existência neste jogo de acúmulo e posses. E então aumentamos nossa expectativa de vida, sem saber que nem estamos vivendo, estamos só trabalhando, como máquinas. Pra que viver mais assim, qual a diferença?”, questiona Sander.

Serviço

O quê: Travessia, de Juarez Sander

Onde: Espaço Cultural Dr. Liberato (R. dos Andradas, 67, Centro)

Visitação: segunda a sexta das 8h às 17h30, e sábado, das 9h às 12h30

Entrada franca


Jornal NH
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS