Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Jornal NH, 99 - Bairro Ideal - Novo Hamburgo/RS - CEP: 93334-350
Fones: (51) 3065.4000 (51) 3594.0444 - Fax: (51) 3594.0448

BAH!rulho
Lançamento

Sol do Samba é o primeiro single do disco de estreia da Supervão

Banda de São Leopoldo divulga primeira música do álbum Faz Party que será lançado no dia 26 de julho
16/06/2019 14:24

Foto por: Maurício Kessler/Divulgação
Descrição da foto: Capa do disco Faz Party, da banda Supervão, que será lançado em julho
O Bah!rulho vem acompanhando a trajetória da Supervão desde que os guris de São Leopoldo lançaram o seu primeiro single lá em 2015. Agora, depois dos EPs Lua Degradê e TMJNT, Mario Arruda (vocais e programações eletrônicas), Leonardo Serafini (guitarra e sintetizador) e Ricardo Giacomoni (contrabaixo e guitarra) estão se preparando para lançar o primeiro disco: Faz Party.

Selecionado pelo projeto Natura Musical e com financiamento do Pró-Cultura RS, o álbum que será lançado dia 26 de julho. O primeiro single, Sol do Samba, já saiu e mostra que os guris juntaram bem todas as suas influências: é rock, é pop, é dançante, é psicodélico e mesmo apontando para o futuro ainda traz uma ligação espectral com o samba e a tropicália.

"Sol do Samba conta uma história urbana sobre uma pessoa que não acredita em mais nada no mundo. O plot twist é quando um amigo da rua a leva a um samba", conta Mario Arruda, responsável pela produção do álbum. "O resultado é uma espécie de cura pela festa. Trata-se de uma passagem do niilismo à celebração festiva que cura a partir do vapor gerado pelo ato de dançar", teoriza Mario no material de divulgação do single.

A banda também divulgou a arte da capa de Faz Party. "Tanto as imagens da capa do disco quanto as dos singles tem o teto do pós-digital: imprimir um gradiente criado por computador e depois fotografar essa impressão junto de um ambiente 'natural'. O artificial e o natural não são coisas opostas, que não se misturam. Pelo contrário, essas coisas sempre podem se confundir. Talvez sejam justamente essas misturas que produzem confusão é que podem produzir outras possibilidades de vida." Se liga aí:

Jornal NH

BAH!rulho

por André Heck
andre.heck@gruposinos.com.br

Rock, pop, alternativo, hip hop... enfim, música. Essa é proposta do Bah!rulho, editado pelo jornalista André Heck. Um apanhado geral do que rola nos palcos e discos mundo afora, com informação e opinião, tudo em volume muito alto.

PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3553.2020 / 51 992026770
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS