Olá leitor, tudo bem?

Use os í­cones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, ví­deos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Jornal NH, 99 - Bairro Ideal - Novo Hamburgo/RS - CEP: 93334-350
Fones: (51) 3065.4000 (51) 3594.0444 - Fax: (51) 3594.0448

PUBLICIDADE
Sobe e desce

Gangorra da dupla Gre-Nal volta a balançar

Grêmio e Inter têm início de Brasileirão com campanhas quase opostas às de 2018
20/05/2019 20:55 20/05/2019 21:16

Foto por: Alan Machado/GES
Descrição da foto: Gráfico compara os inícios de Brasileirão da dupla Gre-Nal neste ano e no ano passado
O assunto é recorrente e parece até clichê – expressão que de tão repetida se torna previsível. A “velha gangorra” da dupla Gre-Nal é novamente uma figura de linguagem que ilustra bem as comparações das campanhas de Grêmio e Inter nas cinco primeiras rodadas do Brasileirão nos dois últimos anos. A metáfora cuja criação é atribuída ao jornalista Lauro Quadros pode ser aplicada aos momentos vividos pelos dois clubes da capital gaúcha. Na arrancada do Campeonato de 2018, o Grêmio era o 4º colocado e o Inter namorava com a temível “zona do rebaixamento”. Agora, o Colorado aparece na 5ª posição e o rival ocupa a vice-lanterna da competição nacional. Os resultados representam o pior desempenho do Tricolor na arrancada desde a adoção do sistema de pontos corridos no Brasileiro.

A baixa pontuação ainda não preocupa o técnico gremista Renato Portaluppi, pelo menos no discurso em público. “Você tem alguma dúvida de que o meu time vai decolar? Não tem prazo. São 38 rodadas, disputamos cinco e faltam 33 rodadas. Se alguém acha que o Grêmio não vai decolar, pegue as suas fichas e aposte. Eu não estou nem um pouquinho preocupado. É lógico que não estou satisfeito, né, pela colocação do Grêmio na tabela”, disse o ídolo tricolor, logo após a derrota por 2 a 1 contra o Ceará, na Arena Castelão, no último domingo.

A comparação com as temporadas anteriores também foi comentada pelo treinador colorado Odair Hellmann. “A cobrança não pensa que foi menor no ano passado, nem a paciência. Entendeu? Tinha uma consideração por estar vindo muito próximo daquela situação negativa, mas também tinha cobrança. Eu lembro que no ano passado quando a gente foi jogar contra a Chapecoense. A rodada era num domingo e nós jogamos numa segunda-feira. Nos derrubaram pra Segunda Divisão. Nem esperaram terminar a rodada. O Grêmio tem menos pontos neste ano e não derrubaram o Grêmio para a Segunda Divisão”, analisou. Ele no entanto avaliou que era natural a impaciência da crônica esportiva e da torcida no ano passado por causa do momento de reconstrução do clube após a queda e a disputa da Série B em 2017.

Os desfalques tricolores

O técnico Renato Portaluppi terá desfalques para o jogo contra o Juventude, às 21h30 desta quarta-feira (22), no Estádio Alfredo Jaconi, em Caxias do Sul. A partida será válida pela rodada de ida das oitavas de final da Copa do Brasil. Se a campanha no Brasileirão até agora é decepcionante, a torcida tricolor espera que a reação ocorra imediatamente e a competição eliminatória na qual é o clube é um papa-títulos pode servir de catapulta. Lesões, convocações e suspensões podem atrapalhar os planos gremistas. O zagueiro argentino Kannemann está vetado por conta de uma fissura na vértebra – ele deve ficar até de
fora da seleção argentina na Copa América. Marcelo Oliveira, que poderia ser um substituto imediato, passou por cirurgia no joelho e o tempo de recuperação ainda será longo. Já Luan sofreu um estiramento muscular. Everton foi convocado para a seleção brasileira e logo precisará se apresentar ao técnico Tite. Matheus Henrique foi chamado para as divisões de base da seleção canarinho e também não poderá atuar sábado contra o Atlético-MG por causa da suspensão pela sequência de três cartões amarelos. O único retorno provável para o duelo contra o time serrano deve ser do volante e capitão Maicon. A lista dos atletas em recuperação ainda é engrossada pelo lateral Cortez, o meia Jean Pyerre, que treinou na segunda-feira (20), o zagueiro Paulo Miranda e o atacante Diego Tardelli. Todos eles ainda devem ser reavaliados.

As dúvidas coloradas

Quem via o elenco do Inter com desconfiança até pouco tempo atrás pode, aos poucos, mudar de opinião. O técnico Odair Hellmann fez questão de valorizar o grupo de jogadores após a vitória por 2 a 0 sobre o CSA. Mesmo com desfalques, quem entra no time tem dado conta do recado. “Coletivamente, temos uma ideia de jogo consolidada, o que ajuda quem está entrando a se ajustar. Quem entra, entra bem”, avaliou.
Para o enfrentamento contra o Paysandu, às 20 horas de quinta-feira (23), no Beira-Rio, pela Copa do Brasil, a comissão técnica terá que consultar o Departamento Médico outra vez para definir a escalação: o zagueiro Rodrigo Moledo sentiu uma lesão no músculo adutor da coxa esquerda e deve parar por três semanas, o atacante Nico López reclamou de dor no pé após uma dividida. O uruguaio, na pré-lista para a Copa América, deve ser reavaliado para o duelo das oitavas de final da Copa do Brasil, mas Moledo está fora. O volante Patrick ainda se recupera de lesão. O capitão Rodrigo Dourado foi submetido a uma artroscopia no joelho no domingo pela manhã e segue afastado por pelo menos mais duas semanas. Os substitutos Nonato e Rodrigo Lindoso tiveram boas atuações nos últimos jogos e devem ganhar mais oportunidades. Já para a sequência do Brasileirão, contra o Santos, fora de casa, Zeca estará suspenso pela sequência de cartões amarelos. Bruno tem a ficha número 1 para substituir o ex-santista.

Jornal NH
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3553.2020 / 51 992026770
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS