Olá leitor, tudo bem?

Use os í­cones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, ví­deos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Jornal NH, 99 - Bairro Ideal - Novo Hamburgo/RS - CEP: 93334-350
Fones: (51) 3065.4000 (51) 3594.0444 - Fax: (51) 3594.0448

Aimoré x Noia

Clássico de respeito e de paz pelo Gauchão

Aimoré e Novo Hamburgo se reencontram neste domingo, no Cristo Rei, após duas temporadas, e em momento de definições no Estadual
23/02/2019 21:23

Foto por: Inézio Machado/GES
Descrição da foto: Marcelo Pitol, goleiro do Aimoré, e Fred, zagueiro do Noia, no Estádio do Cristo Rei, em São Leopoldo
 A 90ª edição do Clássico do Vale entre Aimoré e Novo Hamburgo promete ser carregada de emoções. Neste domingo, a partir das 17 horas, no Estádio do Cristo Rei, em São Leopoldo, as equipes entram em campo pela 8ª rodada do Gauchão, num duelo que pode definir o rumo dos clubes na competição. O Índio Capilé quer a vitória para carimbar a permanência na elite do futebol estadual e, de quebra, ultrapassar o rival na tabela. Já o Anilado visa o primeiro triunfo fora de casa e também uma vaga entre os quatro melhores times do campeonato. Os treinadores Gelson Conte, do Aimoré, e Bolívar, do Noia, fecharam seus treinamentos na sexta-feira e manterão o mistério quanto às escalações até momentos antes do jogo, e, tratando-se de clássico, toda a estratégia é válida. O certo é que ambas as equipes pregam respeito e paz dentro e fora das quatro linhas. E por isso, o goleiro Marcelo Pitol, capitão aimoresista, e o zagueiro Fred, capitão anilado, aceitaram o convite do Grupo Sinos para registrar esse momento na sexta-feira no palco do duelo, dando o exemplo de que a vida vale muito mais que uma partida de futebol.

  • Pitol e Fred, no Estádio do Cristo Rei, em São Leopoldo
    Foto: Inézio Machado / GES
  • Pitol e Fred, no Estádio do Cristo Rei, em São Leopoldo
    Foto: Inézio Machado / GES
  • Pitol e Fred, no Estádio do Cristo Rei, em São Leopoldo
    Foto: Inézio Machado / GES
  • Pitol e Fred, no Estádio do Cristo Rei, em São Leopoldo
    Foto: Inézio Machado / GES

A EXPERIÊNCIA DA CAPITANIA DE PITOL

Matheus Beck

Proveniente da base gremista, o leopoldense Marcelo Pitol, 36 anos, está na terceira passagem pelo Aimoré. Com o escudo Índio, o arqueiro se sente à vontade, defende a cidade onde nasceu e é a liderança do time dentro de campo e também no vestiário. O dono da camisa de número 1 carrega consigo uma cobrança inclusive nos treinamentos e espera sair vitorioso na tarde deste domingo. Garra e dedicação não faltarão, mas o responsável por impedir os tentos anilados, antes de qualquer coisa, exige que a disputa fique somente dentro das quatro linhas. “Tem que ter muito respeito, vibração, vontade de vencer, pois envolve muita coisa. Envolve amor, paixão, cidades vizinhas, mas que não passe de dentro do gramado. Vai ter a disputa dentro de campo, a rivalidade, mas que não saia daqui”, destacou.

O goleiro aimoresista reitera o valor do encontro entre leopoldenses e hamburguenses e reconhece o momento necessitário do Índio. “A gente vem de uma derrota contra o Pelotas, mas, no contexto geral, o campeonato tem sido bom.” Reconhecedor dos tropeços, Pitol pretende que a retomada no Estadual se estabeleça justamente neste período em casa. “Podemos sonhar e tem que sonhar, pois temos jogadores de uma qualidade muito boa, que vem mostrando jogo a jogo. Tivemos um tropeço. Eu vejo que as coisas não aconteceram da forma que esperávamos, mas agora é diante do nosso torcedor”, declarou Pitol.

Caso o planejado seja obtido, o defensor espera que o Aimoré alce maiores voos nos próximos anos. “A gente fala que vem sendo cobrado como se estivéssemos jogando no Inter ou Grêmio. Mas eu vejo que está certo. Envolve muita coisa na cidade de São Leopoldo. Envolve uma equipe em ascensão, em crescimento, e muita coisa pode melhorar no clube para o ano que vem, por ter retornado, continuado e de repente ter ficado entre os oito. E, para isso, podem ter certeza que nós vamos lutar bastante para vencer”, finalizou.

O XERIFÃO FRED É A VOZ DE COMANDO DO NOIA

Gustavo Henemann

O zagueiro hamburguense Fred, 33, atual capitão da equipe anilada, já disputou diversos clássicos contra o Aimoré desde as categorias de base do Novo Hamburgo. O último encontro que teve com o time capilé ocorreu na estreia do Campeonato Gaúcho de 2015, quando o duelo terminou empatado por 2 a 2, no Estádio do Vale. Para o defensor do Noia, o confronto deste domingo promete ser bastante disputado dadas as posições das equipes na tabela de classificação do Gauchão, mas afirmou que deve prevalecer o respeito e a paz dentro e fora de campo. “É mais um clássico que vem na nossa carreira, e fico feliz por ter a possibilidade de disputá-lo. É um jogo diferente, envolve muitas coisas, torcida, direção. Mas acredito que tem que haver o respeito não só dentro de campo, mas nas arquibancadas, até para o bem do futebol, do espetáculo. É importante ter esse selo de amizade, de um jogo disputado, e que vale muito dentro da competição para ambas as equipes. Muita gente que vai com a família, com crianças pequenas, quem for no estádio que vá realmente para torcer e acompanhar um grande jogo”, destacou Fred.

Para o xerifão da zaga do Anilado, a equipe precisa manter o estilo de jogo e a concentração para conquistar a primeira vitória fora de casa na competição. “A gente sabe que eles vêm de uma derrota com o Pelotas, é um time que vai propor uma pressão de início, até por ser clássico, e a torcida vai empurrar. Temos que manter nosso mesmo nível de concentração, de atuação, e não sair do que viemos fazendo. Não podemos entrar em provocação, que é o principal para não sair do foco e do nosso objetivo. Empatando ou ganhando, nos mantemos à frente deles, e consolidamos de vez nossa permanência na divisão principal do Campeonato Gaúcho”, completou o capitão.

O JOGO

AIMORÉ

Marcelo Pitol; Gian, Renato (Diogo Borges), Douglão e Henrique Ávila; Toto, Diguinho e Leandro Canhoto; Wagner (Gustavo Xuxa), Marco Antônio e Vinicius. Técnico - Gelson Conte. 

NOVO HAMBURGO

Gustavo; Ednei (Osvaldir), Luis Gustavo, Fred e Neuton; Éder Paraguai, Mossoró, Rodrigo Paulista (Schuster), Juninho (Kelvin) e Bustamante; Paulinho Simionato (Leandro Cearense). Técnico - Bolívar. 

Detalhes

Local - Estádio Monumental do Cristo Rei, em São Leopoldo. Horário - 17 horas. Arbitragem - Roger Goulart, auxiliado por Maurício Penna e Júlio Cezar de Freitas. Transmissão - Rádio ABC. 


Jornal NH
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS