Olá leitor, tudo bem?

Use os í­cones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, ví­deos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Jornal NH, 99 - Bairro Ideal - Novo Hamburgo/RS - CEP: 93334-350
Fones: (51) 3065.4000 (51) 3594.0444 - Fax: (51) 3594.0448

PUBLICIDADE
Mundo

Incêndio em avião de passageiros na Rússia pode ter matado 41 pessoas

De acordo com a agência Interfax, 37 dos 78 passageiros sobreviveram ao acidente em Moscou
05/05/2019 20:43

Autoridades russas temem que 41 dos 78 ocupantes do avião da Aeroflot que pegou fogo neste domingo (5) e fez um pouso de emergência, em chamas, no aeroporto de Moscou, tenham morrido, segundo informações oficiais.

"Havia 78 pessoas, inclusive membros da tripulação, a bordo do avião", informou o Comitê de Investigação em um comunicado. "Segundo as informações atualizadas até o momento, 37 pessoas sobreviveram", acrescentou.

O balanço confirmado até o momento é de 13 mortos. "Pelo momento, confirmamos a morte de 13 pessoas, entre elas duas crianças", disse uma porta-voz da Comissão de Investigações russa, Svetlana Petrenko, citada pela agência TASS.

Foto por: AFP
Descrição da foto: Segundo informações, 37 dos 78 passageiros sobreviveram ao acidente em Moscou

Outras 11 pessoas teriam ficado feridas, segundo Dmitry Matveyev, ministro da Saúde da região de Moscou. Segundo ele, três teriam sido hospitalizadas, mas seu estado de saúde não era grave.

O avião Sukhoi Superjet 100 tinha decolado do aeroporto moscovita de Sheremetievo às 12h de Brasília (15h GMT) rumo a Mursmank, no extremo norte da Rússia.

Poucos minutos após o início do voo, o comandante enviou um sinal de emergência, fez uma primeira tentativa fracassada de pouso de emergência e depois, na segunda, efetuou o pouso meia hora depois da decolagem, batendo com a fuselagem no solo no mesmo aeroporto.

Um vídeo divulgado pela TV russa mostra o momento da aterrissagem do avião, envolto em chamas. Outros vídeos difundidos pelas redes sociais mostram a evacuação de emergência dos passageiros em tobogãs.

De acordo com a agência de notícias Ria Novosti, um problema elétrico teria provocado o incêndio na aeronave. Mas um passageiro comentou sobre um raio, que teria atingido o avião.

"Tínhamos acabado de decolar e o avião foi atingido por um raio (...) A aterrissagem foi difícil. O avião quicou na pista como um gafanhoto e se incendiou em solo", contou Petr Egorov ao jornal russo Komsomolskaya Pravda

Segundo o site especializado Flightradar24, o avião decolou às 15H03 GMT e o piloto reportou um incidente em voo às 15H11. Depois, o sinal de emergência foi ativado às 15H25.

"Às 15h30 GMT (12h30 de Brasília), o avião fez uma aterrissagem de emergência", destacou o aeroporto em um comunicado. O incêndio carbonizou totalmente a parte posterior da aeronave.

A agência Interfax citou uma fonte anônima, segundo a qual a aeronave havia aterrissado com os tanques cheios de combustível porque foi perdido o contato por rádio com os controladores de tráfego aéreo e "era perigoso realizar uma manobra para esvaziar os tanques sobrevoando Moscou".

"Foi aberta uma investigação criminosa por violação das normas de segurança", informou o Comitê de Investigação da Rússia.

O Superjet-100 foi o primeiro avião civil projetado na Rússia após o colapso da União Soviética.

Motivo de orgulho na época de seu lançamento, desde então tem sido criticado e teve pouquíssima aceitação fora do mercado russo e várias empresas estrangeiras mencionaram problemas de confiabilidade.

Desde que começou a voar, em 2008, este é o segundo acidente fatal envolvendo um Superjet 100, de acordo com a base de dados Aviation Safety Network.

 

 

Jornal NH
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3553.2020 / 51 992026770
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS