Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Jornal NH, 99 - Bairro Ideal - Novo Hamburgo/RS - CEP: 93334-350
Fones: (51) 3065.4000 (51) 3594.0444 - Fax: (51) 3594.0448

PUBLICIDADE
Natureza

Cinzas de vulcão que entrou em erupção no Peru pode prejudicar tráfego aéreo no Brasil

Área mais sensível para a aviação está nos Estados do Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraná e São Paulo
21/07/2019 15:46

Foto por: Ingemet/Divulgação
Descrição da foto: Imagem do Observatorio Vulcanológico do Instituto Geológico, Minero y Metalúrgico do Peru mostra o vulcão Ubinas em atividade desde a última sexta-feira (19)

As autoridades peruanas ordenaram, na sexta-feira, a evacuação de centenas de moradores que vivem perto do vulcão Ubinas, no sul do país, devido a uma chuva de cinzas e gases, após duas explosões eruptivas registradas na madrugada.

A evacuação foi ordenada depois de que o Instituto Geofísico do Peru (IGP) apontou que "o vulcão Ubinas continua em processo eruptivo", e recomendou a "elevação do nível de alerta vulcânico de amarelo para laranja". O alerta laranja precede o alerta vermelho, nível de máximo perigo.

O Ubinas está situado na região de Moquegua, 1.250 km ao sul de Lima e a 5.672 metros de altitude sobre o nível do mar. Mais de meia dúzia de comunidades vivem em seus arredores.

As emissões de cinzas e gases tóxicos estão relacionadas com o aumento da atividade sísmica do vulcão, indicou o informe do IGP.

Os ventos levaram as enormes nuvens formadas com as emanações em direção leste, sendo transportadas para o território boliviano e brasileiro. Os gases podem ser prejudiciais para a o transporte aéreo. Por nota, a Força Aérea Brasileira (FAB) confirmou aos pilotos o deslocamento das cinzas vulcânicas para o Brasil, mais precisamente sobre os Estados do Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraná e São Paulo. "Não houve necessidade de fechamento do espaço aéreo, mas seguimos monitorando o avanço por meio dos Centros Meteorológicos de Vigilância (CMV) e coletando informações repassadas pelos pilotos", segundo a assessoria de comunicação da aeronáutica. Ontem (20), um voo da Azul, que sairia às 4h50 de Cuiabá para Campo Grande, chegou a ser cancelado por causa das cinzas.

A coluna eruptiva atingiu uma altura de cerca de seis quilômetros acima da cratera do vulcão.

O vulcão Ubinas, o mais ativo do Peru, não registrava erupções desde 2017.

Jornal NH
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3553.2020 / 51 992026770
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS