Olá leitor, tudo bem?

Use os í­cones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, ví­deos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Jornal NH, 99 - Bairro Ideal - Novo Hamburgo/RS - CEP: 93334-350
Fones: (51) 3065.4000 (51) 3594.0444 - Fax: (51) 3594.0448

PUBLICIDADE
Cris Manfro

É hora de decidir

"Eu quero ter a vitalidade da minha mãe aos 93"
06/02/2019 14:34

Cris Manfro NOVO Cris Manfro é psicóloga clínica, terapeuta de família e casal e mediadora familiar
acmanfro@terra.com.br

A última vez que me exercitei foi ano passado, quando estava de férias no condomínio da praia, num programa maravilhoso de ginástica bolado pelo visinho Damién. Voltei decidida a malhar durante todo o ano, certa que eu chegaria muito melhor a esse final de ano. Mas o máximo que eu fiz foi subir e descer escadas de aviões, caminhar em aeroportos. O exercício de peso, foi puxar minha mala cheia de livros e levantar meu neto ao colo de vez em quando. Foi um ano feliz demais, com muitas conquistas, realizações, mas onde a máquina que move minha vida não recebeu cuidado algum.

Então, recebo um vídeo do meu outro vizinho de praia, Ricardo. Um vídeo onde o governo canadense busca conscientizar os seus cidadãos de como serão os últimos dez anos de vida, se você se exercitar ou não. Sendo que lá é comum passar adoecido os últimos 10 anos de vida. O vídeo pergunta: "Como você passará seus últimos 10 anos?".

Ele inicia com uma pessoa de idade colocando o tênis na escada em frente da casa, pronto para caminhar. Em comparação aparece o mesmo homem pondo o chinelo sentado numa cama de hospital. Outro quadro aparece uma roda de bicicleta rodando para fora de um pátio, e a roda de uma cadeira de rodas passeando nos corredores de um hospital e pergunta: "Você será rápido e veloz para um jogo de pega-pega com seus netos?".

Segue mostrando uma escadaria de uma pirâmide prestes a ser escalada e uma escada já adaptada dentro de casa para alguém ser transportado para cima. Numa imagem, uma caixa com divisões cheia de material para pesca e outra maleta com divisões para muitas drágeas e pergunta: "Você será forte o suficiente para abraçar cada momento?".

Continua com um homem maduro apertando o nó na gravata, e outro apertando o cano de ar posto em seu nariz. Um ajeitando o relógio e outro a etiqueta de identificação do hospital. Numa cena o homem curtindo com netos e família e outra com o homem solitário no hospital. O vídeo termina com o rosto do homem dividido ao meio e em ambas as situações a mulher beijando cada face com a pergunta: "você envelhecerá com vitalidade ou com doenças" e, afirma: "É hora de decidir!".

Foi um tapão na minha cara! Daqueles que se deve levar a sério. Eu quero ter a vitalidade da minha mãe aos 93. Quero passear na rua e esperar pronta de tênis no pé, pelo "professor(a)" como ela esperava pela Vivi, Daniela e Daniel, que foram os "prô" dela. Quero brincar sentada no chão, abraçar cada momento, percorrer muitas estradas e ter preparo para escalar mundos. Mas tenho feito o caminho inverso e abusando da máquina me move, sem cuidado algum. Conclusão: tenho vizinhos maravilhosos e devo escutá-los. A ginástica do verão está garantida com eles. Mas sei que fazer a manutenção de uma decisão não é fácil.


Jornal NH
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS