Publicidade
Acompanhe:
NH Hoje
Opinião Cris Manfro

Uma equipe fantástica

Publicada: 23.08.2019 às 16:54

Foto por: GES
Descrição da foto: Cris Manfro NOVO

Cris Manfro é psicóloga clínica, terapeuta de família e casal e mediadora familiar
acmanfro@terra.com.br

Em tempos onde todos falam que não existe gentileza, eu conheci uma equipe extraordinária, isso quer dizer acima da média. Eu estava embarcando em Recife com um café na mão quando um funcionário disse que eu não poderia entrar, porque o café estava sem tampa e, fez sentido pra mim. Tomei o café e ao embarcar na aeronave, percebo que estava sem meu celular. Peço à comissária de bordo Sandra que permita que eu volte à sala de embarque porque havia olhado as horas e devia ter caído ali. Ela, de uma gentileza incrível, permite que eu vá, mas, não o encontro. Volto desolada pensando nos transtornos que eu teria.

Ela, de forma disponível, me oferece o celular dela para que tentemos ligar. Toca até cair várias vezes. Lembra-me de ligar para a família, numa empatia enorme e, comunica o comandante do ocorrido. No meio do voo ela diz que o comandante avisou que o celular tinha sido encontrado. Chegando a São Paulo, ela oferece o celular para eu dizer para a família, entrar em contato com o aeroporto de Recife, passando o celular pelos passageiros, de mão em mão até que chegue até mim. A cena me emocionou. Nesse momento entra em cena a Cacau.

Chegando a Porto Alegre, meu marido diz que a funcionária Cacau de Recife estava fazendo o possível, mas que nenhum celular havia aparecido. Meu marido pensa que o comandante deve ter dito que teriam achado para que eu ficasse tranquila. Como é difícil acreditar em gentileza, pois, vira fantástico o que deveria ser algo comum. Eles são os heróis da vida real. No final do dia, ligamos novamente e, um funcionário ouve Cacau ao telefone e conta que o celular havia chegado antes dela, e estava ali, guardado.

No dia seguinte Cacau liga ao telefone do meu marido, que estava desligado, carrega o meu que estava sem bateria e aguarda alguém me ligar, para pedir outro contato. Uma amiga liga, Cacau explica o ocorrido, recebe meu outro contato, e me avisa que o telefone será enviado. Ele chega no dia seguinte e meu filho busca. Eles não me devolveram um celular. Eles me devolveram, esperança. Gentileza, disponibilidade, empatia e compaixão. Tudo isso numa história só. Agradeço a toda equipe da Latam de Recife, em especial a Sandra e Cacau, minhas novas amigas, ao comandante, ao meu filho e a todos que me fizeram acreditar, como diz a música: "que o Natal existe, que ninguém é triste, e que no mundo há sempre amor." Quando você estiver lendo esse artigo eu estarei voltando de novo de Recife. Desta vez, com mais cuidado com meus pertences, e, indo encontrar essa equipe fantástica para abraçar pessoalmente.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.