Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Jornal NH, 99 - Bairro Ideal - Novo Hamburgo/RS - CEP: 93334-350
Fones: (51) 3065.4000 (51) 3594.0444 - Fax: (51) 3594.0448

PUBLICIDADE
Reforma da Previdência

Oposição negocia redução do tempo mínimo de contribuição para homens

Segundo o líder da oposição, o presidente da Câmara e o líder da minoria teriam se sensibilizado com a questão
11/07/2019 17:36

Líder da oposição na Câmara, Alessandro Molon (PSB-RJ) disse na tarde desta quinta-feira, 11, que está sendo negociado com o governo e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), um destaque que reduz de 20 para 15 anos o tempo mínimo de contribuição para homens. Para as mulheres, o texto atual já traz o período de 15 anos.
Segundo ele, Maia e o líder da Maioria, Aguinaldo Ribeiro, se sensibilizaram com a questão, porque, de acordo com Molon, o tempo mínimo de contribuição em 20 anos é o ponto que mais afeta pessoas de baixa renda. O parlamentar também afirmou que o secretário especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, foi chamado para ouvir a proposta, e que a equipe econômica fará os cálculos do impacto da medida.
"Estão analisando a possibilidade de aceitar esse destaque do PSB, alterando também o cálculo", observou Molon. Na proposta atual, com 20 anos de contribuição, o benefício será de 60% da média salarial de contribuição, subindo dois pontos porcentuais para cada ano a mais de trabalho. Para amenizar o impacto econômico, a sugestão dada pela oposição foi de que essa escalada seja de 1,6 ponto por ano, e não de dois. Questionado logo após a declaração de Molon, Marinho não se manifestou sobre o ponto.
Já o líder do MDB, Baleia Rossi, afirmou a jornalistas que estão sendo avaliados no momento os impactos de algumas das mudanças propostas, mas destacou que, se a perda econômica for grande, não será feito acordo. Baleia também avaliou que é possível hoje o plenário analisar os destaques, votando o segundo turno na sexta. O líder do MDB disse também que está "praticamente fechado" o acordo relativo aos destaques dos policiais, mulheres e professores.
 
Jornal NH
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3553.2020 / 51 992026770
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS