Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Jornal NH, 99 - Bairro Ideal - Novo Hamburgo/RS - CEP: 93334-350
Fones: (51) 3065.4000 (51) 3594.0444 - Fax: (51) 3594.0448

PUBLICIDADE
Oposição

Manifestantes passaram a terça-feira pedindo recursos para educação

Foram registrados atos em várias cidades no Brasil
13/08/2019 23:20

Foto por: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Descrição da foto: Brasília: manifestações diante do Congresso Nacional

Convocados por entidades sindicais e movimentos estudantis, professores, técnico-administrativos e estudantes participaram ontem, em várias cidades do País, de atos contra o contingenciamento de recursos da educação, em defesa da autonomia das universidades públicas e contra a reforma da Previdência. Segundo a Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), havia atos agendados em ao menos 170 cidades dos 26 estados, além do Distrito Federal. A manifestação nacional foi uma continuidade da mobilização de maio, organizada em defesa da manutenção das verbas para o ensino superior. Para a União Nacional dos Estudantes (UNE), os contingenciamentos anunciados pelo governo afetam não só o ensino superior, mas também a educação básica, o ensino médio e programas de alfabetização. De acordo com a UNE, os protestos também são contra a proposta do Ministério da Educação (MEC) de instaurar o programa Future-se, que, segundo a pasta, busca o fortalecimento da autonomia administrativa, financeira e da gestão das universidades e institutos federais. Para as entidades sindicais e movimentos estudantis, o projeto transfere atribuições dos governos para o mercado.

POrto Alegre

Em Porto Alegre, as principais atividades começaram no período da tarde, no Centro Histórico. Professores e trabalhadores da educação liderados pelo Cpers/Sindicato realizaram manifestação em frente ao Palácio Piratini. Depois, os manifestantes rumaram para outro ato na Esquina Democrática - cruzamento entre a Borges de Medeiros e a Rua dos Andradas (Rua da Praia). As mobilizações provocaram congestionamento em locais como a esquina das avenidas Salgado Filho e Borges de Medeiros. Já no início da noite, após ato na Esquina Democrática, os manifestantes seguiram pela Avenida Júlio de Castilhos até o Câmpus Central da Ufrgs, em protesto contra as políticas do governo federal na área de educação e do ensino universitário. Também houve mobilização em outras cidades, como Santa Maria, onde estudantes e servidores da universidade federal do município (UFSM) realizaram ato em frente ao arco que dá acesso ao câmpus. Em Passo Fundo, um protesto incluiu professores, estudantes e sindicalistas. Em Caxias do Sul, estudantes se concentraram em uma praça. Em Rio Grande, as atividades foram realizadas no largo Doutor Pio, área central.

 

Reclamação contra Dallagnol

Brasília - O Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) impôs na manhã de ontem, dois reveses ao coordenador da força-tarefa da Lava Jato no Paraná, Deltan Dallagnol. Na sessão, o órgão decidiu desarquivar reclamação disciplinar contra os procuradores Deltan Dallagnol e Roberson Pozzobon, integrantes da força-tarefa da Lava Jato, em função de supostas mensagens trocadas entre eles e publicadas pelo site The Intercept Brasil e pelo jornal Folha de S.Paulo. O pedido para o caso ser desarquivado foi apresentado na sessão desta terça-feira pelos conselheiros Leonardo Accioly da Silva e Erick Venâncio Lima do Nascimento. O relator ainda será definido. A decisão de arquivamento havia sido tomada individualmente pelo corregedor nacional do Ministério Público (CNMP), Orlando Rochadel Moreira. (AE)

Protestos ocorreram em capitais do País

Em Brasília, após um pequeno grupo de manifestantes fechar parte da Rodovia DF-075, pouco antes das 9 horas, profissionais da educação, estudantes, sindicalistas e outros manifestantes começaram a se concentrar no Conjunto Cultural da República, na Esplanada dos Ministérios. Em São Paulo, na capital do estado, professores, estudantes e representantes de centrais sindicais promoveram à tarde ato na Avenida Paulista, região central de São Paulo. Já no Rio de Janeiro estudantes de universidades públicas realizaram protestos no centro da capital carioca. Em Salvador, Bahia, manifestantes se reuniram no Largo do Campo Grande, de onde saíram em caminhada até a Praça Castro Alves com faixas e cartazes. Em Belo Horizonte, Minas Gerais, profissionais da educação e centrais sindicais se reuniram no início da tarde na Assembleia Legislativa de Minas Gerais. Em Fortaleza, Ceará, os manifestantes se concentraram na Praça da Gentilândia, no bairro Benfica. Em Pernambuco, Recife, estudantes, integrantes de movimentos sociais e representantes de sindicatos se reuniram na parte da tarde para protestar. O Centro de Teresina, no Piauí, foi o palco dos protestos na manhã.

Receba notícias diretamente em seu e-mail! Clique aqui e inscreva-se gratuitamente na nossa newsletter.

 

 

Jornal NH
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3553.2020 / 51 992026770
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS