Olá leitor, tudo bem?

Use os í­cones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, ví­deos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Jornal NH, 99 - Bairro Ideal - Novo Hamburgo/RS - CEP: 93334-350
Fones: (51) 3065.4000 (51) 3594.0444 - Fax: (51) 3594.0448

PUBLICIDADE
Caso de Polícia

Grupo se diverte com tortura contra cães em Parobé

Quatro serão indiciados, entre eles um bombeiro voluntário
23/02/2019 10:52

Foto por: Polícia Civil
Descrição da foto: LOCAL: animais eram amarrados a pequeno poste de concreto
As cenas são aterradoras. O cão é amarrado pelo pescoço em um poste de concreto, enquanto um homem o segura e outro o castra com facão. Sem anestesia. O animal grita e chora de dor. Os humanos dão risada, observados por um comparsa, que grava tudo. Há mais pessoas em volta dando apoio. "Se alguém quiser fazer curso de como castrar cachorro, chama nós", gaba-se um deles. Ontem, a Polícia Civil identificou quatro suspeitos, que serão indiciados por maus-tratos a animais no bairro Fazenda Pires, em Parobé. Um deles é bombeiro voluntário.

Foto por: Divulgação
Descrição da foto: VÍTIMA: cachorro ainda sofre
"Pelo menos outros três cães de rua passaram por essa atrocidade no local desde janeiro", comenta o delegado de Parobé, Rafael Sauthier. Ele apura o envolvimento de cada suspeito. "Sabemos que o bombeiro é quem corta. Participa ainda o funcionário de uma pedreira e o empregado de uma agropecuária. O dono da agropecuária também será indiciado, pois há indícios de autoria."

AMBIENTE

No fim da manhã, policiais e fiscais sanitários foram à agropecuária. "Constatamos que a frente do comércio é realmente o ambiente do vídeo", salienta Sauthier. Depois de ser multado por vender pássaros de forma irregular, o dono levou os agentes à casa do bombeiro. "É um funcionário da prefeitura cedido aos bombeiros, que estava trabalhando quando chegamos." O servidor foi buscado no quartel e levado fardado à delegacia.


"É horrível de ver",declara delegado

Vizinhos ficaram revoltados com a crueldade ao assistirem a um vídeo da castração compartilhado no grupo de WhatsApp de moradores. "É horrível de ver. São vídeos e fotos terríveis", observa o delegado. Imagens chegaram a jovens que atuam em defesa dos animais, que procuraram órgãos públicos para denunciar. "Tão logo chegou ao nosso conhecimento, iniciamos a apuração dos fatos."

Animal do vídeo foi encontrado ferido

O delegado revela que o animal do vídeo mais chocante foi encontrado na casa do bombeiro. "O bichinho estava com manchas de um spray azul usado para hemorragia e infecção. Mais que uma forma totalmente inadequada de castração, sob todos os aspectos técnicos, é um crime repulsivo." Na noite de quinta-feira, segundo ele, outro cachorro de rua apareceu mutilado na área investigada, com hemorragia. "O animal foi socorrido e recebeu atendimento veterinário na fiscalização de Taquara."

Pena de até um ano de detenção

De acordo com o delegado, somente o trabalhador da pedreira não foi encontrado ontem para depor. "Na segunda-feira, o inquérito vai para o Fórum, com todos já indiciados", frisa Sauthier. A pena para maus-tratos a animais vai de três meses a um ano de detenção, geralmente convertida em prestação de serviços à comunidade.

"Os três que ouvimos assumiram os crimes." Os nomes não são revelados porque os fatos ainda estão sob investigação. Outros moradores do bairro poderão ser indiciados. "Não foram possíveis prisões em flagrante porque os crimes ocorreram dias atrás." O delegado acrescenta que ainda vai ouvir testemunhas e funcionários públicos por possível omissão.

Jornal NH
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS