Olá leitor, tudo bem?

Use os í­cones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, ví­deos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Jornal NH, 99 - Bairro Ideal - Novo Hamburgo/RS - CEP: 93334-350
Fones: (51) 3065.4000 (51) 3594.0444 - Fax: (51) 3594.0448

PUBLICIDADE
Reposta a "carta aberta"

Prefeitura chama de 'fake news' carta sobre greve no hospital de Campo Bom

Documento compartilhado teria assinatura do corpo clínico
15/05/2019 20:01

A prefeitura de Campo Bom, a direção técnica do Hospital Lauro Reus e a Multiclínica, responsável pela administração da casa de saúde, rebateram, em vídeo publicado no Facebook, nesta quarta-feira (15), uma "carta aberta" compartilhada na terça-feira nas redes sociais, e que teria assinatura do corpo clínico do hospital afirmando que os médicos estão com os salários atrasados. O documento foi chamado de "fake news". No comunicado, havia a promessa de possível greve caso os pagamentos não fossem colocados em dia. "Ouvimos promessas de que não haveria atrasos ou calote, e é o que está acontecendo", afirma um médico que não quis se identificar.

O prefeito Luciano Orsi, no vídeo, foi enfático ao chamar de falsa a informação. "A nota não representa a vontade do corpo clínico, nem da Multiclínica. O hospital vai continuar atendendo", garantiu. "Fake news não queremos mais", salientou, admitindo haver problemas, mas que os mesmos estão sendo discutidos e trabalhados. A secretária de Saúde, Suzana Ambros Pereira, afirma que o município está construindo um hospital de qualidade, ouvindo a comunidade. A manifestação ainda conta com a presença do diretor técnico do hospital, Thiago Serafim, do proprietário da Multiclínica, Luiz Marques, e da diretora assistencial da casa de saúde, Ana Cássia Marques.

Entenda o caso

A Multiclínica passou a gerir o Hospital Lauro Reus no dia 14 de abril deste ano. Antes disso, a administração ficou a cargo do Instituto Inova RS, que enfrentou sérios problemas junto aos funcionários. No início do mês passado, a casa de saúde chegou a atender apenas casos de emergência, por atraso nos salários dos profissionais. Na ocasião, o Inova RS acusou a prefeitura de Campo Bom de não ter honrado valores contratuais, que segundo o Instituto deveria ter sido de R$ 2,1 milhões, mas foi de R$ 1,3 milhão ao mês. A administração municipal, por sua vez, negou e reafirmou que segue a lei. Após a entrada da Multiclínica, a situação parecia tranquila e os atendimentos estavam normalizados. "Não existe a menor possibilidade de os médicos pararem", diz o diretor comercial da Multiclínica Wagner Marques.

 

Jornal NH
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3553.2020 / 51 992026770
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS