Logo do Jornal NH
Compartilhe

Muro do Wolfram ainda segue sem conserto; veja o que falta resolver em Novo Hamburgo

Nesta quarta-feira, Sete de Setembro foi liberada para trânsito; mas restam outros consertos


Por Débora Ertel

Depois de três meses da enxurrada de 125 milímetros que atingiu Novo Hamburgo entre os dias 8 e 9 de março, a população recebeu nesta quarta-feira (12) uma boa notícia. O trânsito na Avenida 7 de Setembro, uma das principais vias do Município, foi liberado totalmente no final da manhã de quarta. A abertura da via entre as avenidas Pedro Adams Filho e 1.º de Março foi acompanhada pela prefeita Fatima Daudt e o secretário de Obras Públicas, Serviços Urbanos e Viários, Raizer Ferreira. "Essa era uma obra importante para a cidade e terminamos antes do prazo estipulado, que era de 120 dias", comemorou Fatima. Os trabalhos no local haviam começado no dia 4 de abril, após realização do projeto e montagem da estrutura de concreto utilizada para reconstruir a ponte. Também foi concluído o conserto do buraco da Rua Chapecó, bairro São José.

Foram realizados trabalhos de limpeza no Arroio Luiz Rau, mas a draga ainda não chegou para concluir o serviço iniciado pela Prefeitura. No Colégio Estadual Wolfram Metzler, uma tela improvisada continua no lugar do muro que caiu. A novidade fica por conta da obra de drenagem da Rua 3 de Outubro, realizada pela iniciativa privada, mas que vai colaborar no escoamento das águas da chuva daquela região. Sobre os saques do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) para os atingidos pelas águas, a Defesa Civil informou que está em fase final de liberação junto à Caixa Federal.

Dragagem dos arroios


Foto por: Débora Ertel/GES-Especial
Descrição da foto: Draga será utilizada na limpeza do canal do Arroio Luiz Rau
Esperada para o mês passado, a draga que a Prefeitura solicitou ao governo do Estado ainda não chegou a Novo Hamburgo. Segundo Ferreira, já foi enviada toda a documentação solicitada pela Secretaria Estadual de Agricultura, Pesca e Desenvolvimento Rural. "Está no trâmite documental. Só falta a liberação para o equipamento chegar e trabalhar junto com as nossas máquinas", comentou.

Por enquanto, a máquina utilizada é a mesma que carrega os caminhões no Ecoponto e, por conta disso, o equipamento é revezado entre as duas atividades. A intenção é seguir com o serviço de limpeza em direção ao Rio dos Sinos, preparando o espaço para um melhor trabalho da draga do Estado.

 

Reparos na parte debaixo da ponte


Embora o trânsito da Sete de Setembro tenha sido liberado, ontem os operários ainda trabalhavam em pequenos reparos na parte debaixo da ponte. O leito do arroio era preenchido com tachões, de modo a organizar o fluxo de água. Conforme a prefeita, a Administração Municipal tem consciência de que a obra trouxe transtornos para a população e o comércio. No entanto, ela salienta que era preciso fazer uma melhoria definitiva para evitar que o problema se repetisse. "Não adiantava fazer uma 'meia sola'. Fizemos uma obra correta e, por isso, demorou mais. Também sabemos que essa não é a única obra que a cidade precisa", salientou.

 

Entenda o caso


Com o assoreamento provocado pela chuvarada no Arroio Luiz Rau, uma cratera se abriu na Avenida Sete de Setembro, bloqueando o trânsito. A Prefeitura decidiu fazer uma obra que ampliasse a capacidade de vazão do arroio, pondo fim aos alagamentos na área. Foi instalado um extravasor, construído com galerias de dois metros de altura, um metro de comprimento e três metros de largura, em uma obra orçada em R$ 500 mil de recursos próprios.

 

Sem muro no Wolfram


Foto por: Débora Ertel / GES-Especial
Descrição da foto: Queda de muro segue sendo um problema para o Colégio Estadual Wolfram Metzler
Já fez três meses que o Colégio Estadual Wolfram Metzler continua sem um pedaço do muro junto à Avenida Nicolau Becker. No mês de abril, a 2ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE) informou que o processo para reforma da estrutura havia sido aberto e se encontrava na 2ª Coordenadoria de Obras Públicas (CROP), que finalizava o projeto e o orçamento da obra. Ao ser questionada novamente sobre o assunto, a 2ª CRE orientou que as informações fossem buscadas junto à Secretaria Estadual de Educação (Seduc). A assessoria de imprensa da Seduc, por sua vez, disse que a obra do muro encontra-se na fase de elaboração de projeto na 2ª CROP. A diretora da escola, Soedi Azeredo, está mais otimista em relação ao início das obras.

Obra na 3 de Outubro


Foto por: Débora Ertel / GES Especial
Descrição da foto: Obras na rua 3 de outubro
Uma obra de R$ 1 milhão bloqueia o trânsito na Rua 3 de Outubro, entre as Avenidas 1.º de Março e Nações Unidas. Segundo secretário de Obras Públicas, Serviços Urbanos e Viários, Raizer Ferreira, a intervenção é realizada pela iniciativa privada em uma contrapartida acordada com o Município.

Ocorre que na Rua 3 de Outubro, próximo ao Foro, existe um terreno utilizado como bacia de contenção, ou seja, um espaço onde a água da chuva fica retida por um tempo. Para que um novo empreendimento seja instalado na região, colocando fim ao problema de alagamentos que costumam atingir as garagens de edifícios próximos, foi instalada uma tubulação de 1,5 metro de diâmetro. Conforme o secretário, a vazão dos canos será suficiente para resolver o problema.

Sem previsão de barragem


Foto por: Arquivo GES
Descrição da foto: Chuvas causam transtornos no entorno do Arroio Luiz Rau
Dentro das obras de macrodrenagem, existe o projeto para a construção de duas grandes bacias de contenção. Uma ao lado do I Fashion, no bairro Operário, e outra no bairro Guarani. As barragens teriam a função de reter a água da chuva, impedindo que o nível do Arroio Luiz Rau suba rapidamente. Segundo a Prefeitura, o I Fashion fará a obra em contrapartida assim que expandir o shopping localizado no local.

Daqui a duas semanas, Fatima deverá conversar novamente com a direção do Grupo Iguatemi sobre o assunto. "Se eles me responderem que precisam de mais tempo, vamos partir para outras medidas, pois precisamos trabalhar na resiliência da cidade", disse. A prefeita lembra que em Novo Hamburgo, por conta da topografia, as águas dos arroios escoam rapidamente.

 

Mais especiais