Publicidade
Acompanhe:
NH Hoje
Notícias | Região Infraestrutura

R$ 10 milhões da Rodovia do Parque podem ir para duplicação de ponte na BR-116

Por Bianca Dilly
Última atualização: 24.08.2019 às 14:01

Valor seria utilizado para o estudo de viabilidade técnica de extensão da BR-448

 

Reportagem: Bianca Dilly

 

Os R$ 10 milhões que seriam utilizados no Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental (EVTEA) da extensão da BR-448, a Rodovia do Parque, não terão mais essa finalidade, pois o projeto está sendo elaborado internamente pelo Dnit. No momento, a bancada gaúcha se mobiliza para garantir que esses recursos, conquistados através de emenda parlamentar no fim do ano passado, ainda sejam aproveitados na região. O objetivo dos deputados federais é que o montante vá para as obras de modernização da BR-116, com foco na duplicação da ponte sobre o Rio dos Sinos, em São Leopoldo.

De acordo com o deputado federal Lucas Redecker, presidente da Frente Parlamentar de apoio à extensão da BR-448 no Congresso, a tendência é de que o valor seja realocado para a BR-116. Para o deputado federal Marcel Van Hattem, a duplicação da ponte é a prioridade. O deputado federal Giovani Feltes destaca que, para essa definição, a proposta precisa passar pela Ministério da Infraestrutura e contar com a mobilização da bancada gaúcha. Já com o deputado federal Giovani Cherini, líder da bancada, a reportagem não conseguiu contato ontem.

BR-448

Conforme Redecker, a BR-448 não perde com essa decisão. "Não há problema nenhum. O estudo já começou. Se precisássemos dos R$ 29 milhões, talvez nem teria iniciado. Na nossa visão, o Dnit foi muito parceiro, mostrando preocupação com a rodovia", destaca. A assinatura para a ordem de reinício da elaboração do levantamento ocorreu no final de junho e a previsão é de que o estudo seja concluído até o final deste ano. Após, ainda existe, entre outras, a fase de elaboração de projeto.

 

Foto por: GES/Arquivo
Descrição da foto: Rodovia do Parque absorveu cerca de 40% do tráfego da BR-116 no trecho entre Sapucaia do Sul e Porto Alegre

A obra da 448

A proposta é ampliar a BR-448 em mais 18,7 quilômetros. A extensão deve ir de Sapucaia do Sul até o entroncamento com a RS-240, em Portão. Com ela, serão beneficiados municípios dos Vales do Sinos e Caí, além da Serra gaúcha. A estimativa é que o fluxo diário da Rodovia do Parque seja de 150 mil veículos. O custo para a extensão é previsto em R$ 1 bilhão. Durante inauguração das interseções da BR-116, em Morro Reuter, no dia 3 de agosto, lideranças gaúchas entregaram ofício ao ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, para inclusão do Projeto de Extensão da BR-448 no orçamento de 2020.

A OBRA DA 116

A assessoria de comunicação do Ministério da Infraestrutura não passou informações sobre o tema e orientou que o contato fosse feito com o Dnit. O Dnit não respondeu aos questionamentos feitos ontem pela reportagem, mas disse que se posicionaria na próxima semana. O Departamento não confirmou qual o valor pode ser realocado para a obra da ponte, qual seria o total necessário para a duplicação ou se há a elaboração do edital em andamento. Na última visita do presidente Jair Bolsonaro ao Rio Grande do Sul, o tema da duplicação da ponte do Rio dos Sinos também foi citado.

Projeto estratégico para a BR-116


O prefeito de São Leopoldo, Ary Vanazzi, enfatiza que considera fundamental retomar a proposta de duplicação, de alargamento da ponte sobre o Rio dos Sinos, na BR-116. Segundo ele, esse projeto, que está em evidência novamente, está relacionado com uma iniciativa de 2011. "O governo federal apresentou no fim de 2011 um projeto estratégico para a BR-116 na região, que envolvia várias melhorias na rodovia de Canoas até Novo Hamburgo, incluindo o alargamento da ponte sobre o nosso rio. Foi uma ação pensada com as prefeituras. Era um projeto que envolvia construção de viadutos, passarelas, faixa adicional. Muitas coisas foram feitas, como passarelas, dois viadutos e faixa adicional em Canoas."

Vanazzi reforça que o projeto estratégico era uma ação grande de melhorias, incluindo ainda acostamento e iluminação. "Muitas ações foram realizadas. Aqui mesmo em São Leopoldo nos acostamentos, na iluminação, no viaduto da Unisinos. Mas não a ponte."

Ary Vanazzi

"Duplicar esse trecho de gargalo seria essencial, pois hoje a cidade sofre muito com o trânsito da rodovia, que desvia para dentro da cidade. Uma dificuldade de fluxo em vias urbanas e na própria rodovia federal."

Neste novo momento de discussão sobre a duplicação, Vanazzi ressalta que não chegou a ser comunicado do andamento do projeto.

 

Baratear projeto

A mudança pode se tornar possível, pois o Dnit assumiu a realização do levantamento da Rodovia do Parque. "A bancada tinha esses R$ 10 milhões para o estudo de realidade, de R$ 29 milhões que precisaria. Como o Dnit incluiu em sua estrutura interna, não precisaríamos contratar uma empresa terceirizada, nem buscar os outros R$ 19 milhões de recursos. Ou seja, vai baratear muito para nós", destaca Redecker.

Caso esse dinheiro não fosse realocado, ele poderia ser perdido. "Ele vai ir para outra obra, porque se não fizermos esse encaminhamento, acaba sobrando e voltando para o orçamento da União", detalha Redecker.

 

Deputados são a favor da obra

Giovani Feltes

"Os R$ 10 milhões, incluí no orçamento deste ano para a 448. Como o Ministério não vai utilizar, penso que deva ser para a BR-116, para a ponte sobre o Rio dos Sinos.” (Giovani Feltes)

 

Lucas Redecker

"A ideia é ir para a BR-116, para a duplicação da ponte do Rio dos sinos. A tendência é ficar para a região, porque também tem outras obras que estão com recursos.” (Lucas Redecker)

 

Marcel Van Hattem

"A prioridade é duplicação da ponte. Em todo trecho da BR-116, desde Porto Alegre até o Vale do sinos, o maior gargalo atualmente é a ponte sobre o Rio dos Sinos.” (Marcel Van Hattem)

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.