Investigação

'É pirâmide financeira', afirma delegado sobre a Unick

Polícia Civil indiciou seis líderes da empresa no noroeste do Estado e remeteu inquérito à esfera federal para investigação de toda a organização
23/09/2019 11:53 23/09/2019 12:02

Foto por: Arquivo pessoal
Descrição da foto: Investigação: Delegado Garcez fechou escritório da Unick Forex em Crissiumal.
Em Crissiumal, no Noroeste do Estado, a Polícia Civil fechou escritório da Unick em fevereiro e, no mês passado, indiciou seis moradores por envolvimento no esquema. “São os que praticaram as atividades aqui na cidade. Concluímos o inquérito, com a sugestão de remessa para atribuição federal, a fim de que se investigue toda a organização”, explica o delegado Willian Dal Bosco Garcez Alves.

Ele recorda que, quando fez a representação ao Judiciário para fechar a unidade, foi por crime contra a economia popular através de pirâmide financeira. “É pirâmide. Iam colocando mais gente para dar mais lucro. Depois se evidenciaram mais delitos, que envolvem lavagem de dinheiro e crime contra o sistema financeiro, de atribuição da Justiça Federal.”

O escritório, aberto em janeiro no Centro, arrebanhou cerca de 300 moradores da região. “Indiciei os que lideravam o esquema.” O delegado ressalta que logo tratou de divulgar a fraude para evitar novas vítimas. “Mesmo assim, sabendo da ação policial, mais pessoas foram entrando.”


Jornal NH