Publicidade
Questão de Gênero

A 'Ideologia de Gênero' no Reino Sagrado da Desinformação

O que leva parte do Brasil a acreditar que a suposta “ideologia de gênero” é a grande ameaça à família brasileira e ao currículo escolar? A Gênero e Número apresenta parte do ecossistema que sustenta esse pânico moral, que é fenômeno da campanha e do governo Bolsonaro, mas não seria possível sem apoio neopentecostal e católico, sem uma frente ultraconservadora no Congresso Nacional e sem um ecossistema de mídia que dá vazão às narrativas da extrema-direita.

O projeto Reino Sagrado da Desinformação conecta pesquisa, análises de redes, semântica e jornalismo de dados para narrar o contexto atual da política brasileira com a questão de gênero no centro. Na plataforma digital, cuja publicação é interdisciplinar e contou com jornalistas, cientistas de dados, cientistas sociais e designers, os usuários encontram visualizações interativas e longas reportagens para contextualizar o Brasil de 2019.

A produção contou com sete reportagens e gráficos de redes que narram o avanço da ideologia de gênero no país. O trabalho apresentou mais de 80 atores dos campos da política, da mídia e da religião que reuniu o núcleo da “ideologia de gênero” no Twitter. A especial divulgou ainda uma entrevista com a filósofa Judith Butler.

Foto por: Reino Sagrado da Desinformação
Descrição da foto:

Com o rigor da apuração jornalística, o levantamento e análise de dados, a formatação de bancos de dados que não existiam, a Gênero e Número construiu um projeto que narra, a partir de uma leitura regional e também macro do Brasil, como se formou o ecossistema político-religioso que criou condições para a propagação da “ideologia de gênero”.

A desinformação na estratégia política, afinal, o que é? É boato ou informação falsa que ganha o mundo em compartilhamentos a partir de um aparato midiático? Seria mais simples se fosse apenas isso. Mas é bem mais complexo. A sofisticação da desinformação está na rede de conexões construída por atores de diferentes campos, na disputa pelo sentido das palavras e ainda na capacidade de midiatizar o discurso.

IMAGEM

Com o rigor da apuração jornalística, o levantamento e análise de dados, a formatação de bancos de dados que não existiam, a Gênero e Número construiu um projeto que narra, a partir de uma leitura regional e também macro do Brasil, como se formou o ecossistema político-religioso que criou condições para a propagação da “ideologia de gênero”.

A desinformação na estratégia política, afinal, o que é? É boato ou informação falsa que ganha o mundo em compartilhamentos a partir de um aparato midiático? Seria mais simples se fosse apenas isso. Mas é bem mais complexo. A sofisticação da desinformação está na rede de conexões construída por atores de diferentes campos, na disputa pelo sentido das palavras e ainda na capacidade de midiatizar o discurso.


Quer receber notícias como esta e muitas outras diretamente em seu e-mail? Clique aqui e inscreva-se gratuitamente na nossa newsletter.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.