Publicidade
Seu problema

Moradores reclamam de más condições de ponte na Rua Manágua, no bairro Santo Afonso

Por Bianca Dilly

Foto por: Bianca Dilly
Descrição da foto: Ponte cedendo na rua Managua Santo Afonso
Moradores do bairro Santo Afonso, em Novo Hamburgo, estão preocupados com a situação da ponte da Rua Manágua, entre a Avenida Nações Unidas e a Rua Presidente Neves. De acordo com a comunidade, há mais de 15 dias uma grande cratera se abriu em uma das cabeceiras da travessia, impedindo a passagem de pedestres pelo local. O buraco, que chega até o nível do Arroio Luiz Rau, acabou sendo sinalizado pelos próprios hamburguenses com galhos secos e outros objetos.

O autônomo Setembrino Camargo, 63 anos, explica que a ponte está em más condições. "Está tudo oco por baixo e a gente já vem percebendo essa erosão faz mais tempo. Até o ano passado, a ponte estava nivelada com o resto da rua. Agora, tem um grande degrau em que os carros e caminhões precisam passar", relata. O medo dele e de outros moradores, como a dona de casa Raquel Amaral, 42, é de que algum acidente aconteça. "Tem chance de cair. Daqui a pouco passa um caminhão carregado e tudo vai abaixo. Sem contar essa cratera, que fica muito perigosa para os pedestres. Pode passar alguém de noite, no escuro, não ver, e acabar caindo ali dentro", comenta.

Camargo diz que a impressão da comunidade é de que a ponte está cedendo pouco a pouco. "Por enquanto, ainda passa de tudo ali, até carretas. Mas não sei até quando", resume. Para o comerciante aposentado Raul Martins, 75, o que falta é uma contenção nas laterais do arroio. "É muita terra solta, sem escoramento. Quando chove, vai descendo cada vez mais", descreve.

Travessia importante

Até quando uma moto passa, os moradores dizem que é possível perceber a movimentação da estrutura. "Tudo balança. Imagina, então, quando um caminhão atravessa", resume Camargo. Para Raquel, é difícil de imaginar a rotina da comunidade sem esta ponte. "A gente usa ela todos os dias. Seja para ir ao trabalho, levar os filhos para a escola, fazer nossas tarefas... Não queríamos que acontecesse uma tragédia. Os bairros de Novo Hamburgo precisam de mais atenção", enfatiza. O morador Jorge Tatsch tem protocolos sobre o problema desde abril deste ano, sem retorno.

 

Condições de pontilhão não estão melhores, reclamam moradores

Cerca de 600 metros distante, é um pontilhão com problemas que está atrapalhando a vida de moradores da Santo Afonso. A estrutura para pedestres, que liga a Travessa Vera Cruz com a Rua Carlos Afonso Braunger, está deteriorada, passou por desmoronamento de terra em uma das cabeceiras e traz risco a quem circula pelo local. Segundo hamburguenses, faz mais de quatro meses que a situação está assim. "Está horrível desse jeito. Muito perigoso, porque tem muitas crianças que passam ali. Já tiveram que tirar um motoqueiro que caiu dentro do arroio", frisa a industriária Isalete de Lima, 48. A moradora destaca que já foram feitos pedidos na Prefeitura. "Disseram para a gente que não tem previsão de arrumar. Não sabemos mais para quem pedir socorro", complementa.

O que diz a prefeitura

A Secretaria de Obras Públicas Serviços Urbanos e Viários de Novo Hamburgo realizou a limpeza do arroio Luiz Rau, até ao Rio dos Sinos, ação que visa minimizar os pontos de alagamentos no seu curso, principalmente na altura das pontes, onde a água, devido ao acúmulo de lixo, fica represada, provocando erosões. A Pasta informa que engenheiros da prefeitura estiveram analisando a situação da ponte da Rua Manágua e orçamentos estão sendo realizados para o início de uma obra para melhorar a vazão da água no local, que deverá começar ainda este mês. A Secretaria reitera que a ponte não oferece riscos em sua estrutura. Em relação ao pontilhão da Rua Vera Cruz, serviços de melhorias seguem em orçamento.


Mais praticidade no seu dia a dia: clique aqui para receber gratuitamente notícias diretamente em seu e-mail!

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.