Publicidade
Cotidiano Cultura

Entrevista: cinco perguntas para Mauro Vila Real

Artista plástico de Sapiranga fala sobre suas experiências internacionais e adianta quais são seus próximos projetos

Por Susi Mello
Última atualização: 07.11.2019 às 11:28

Mauro Vila Real durante a exposição internacional no Museu do Louvre Foto: Divulgação
Mauro Vila Real é artista plástico de Sapiranga. Este ano foram três exposições de cunho internacional. Em junho, esteve em Belo Horizonte (Minas Gerais), em setembro em Portugal e em outubro na exposição Carrossel du Louvre, no maior museu de arte do mundo e um dos ícones de Paris, na França.

1 - Como avalias suas exposições internacionais?
Acredito que foram extremamente positivas. Elas foram fundamentais para a consolidação do trabalho e para mostrar que aqui no Vale do Sinos também se pode produzir com a mesma qualidade dos artistas europeus, bem como para mostrar a todos daqui que a arte é uma carreira possível, além de rentável e prazerosa.


2 - Quais foram as mensagens das obras?
Nesses trabalhos, busquei retratar pequenos fragmentos da nossa infância. Foram pequenos detalhes que muitas vezes só fazem sentido para nós, mas que têm como objetivo mostrar o orgulho de ser daqui. São pequenos easter eggs (segredos de caráter humorístico) como a camisa 15 do Falcão na seleção de 82, o menino usando Kichutes ou o carretel de linha amarelo, tão comum nas fábricas de calçados. Mas acho que são esses detalhes que contextualizam a obra e que mostram para o mundo que estamos aqui.

3 - Qual seu próximo foco profissional?
Minha vontade após toda essa visibilidade é poder focar meu trabalho aqui no Vale. Nunca expus aqui, pouco trabalho aqui na região, acabei ficando conhecido no centro do País mais do que onde moro. Para 2020, a ideia é encontrar com o público daqui, dando início a mais um circuito de workshops apresentando as técnicas, e palestras falando de toda essa jornada, trazendo a experiência que adquiri fora e a alegria de poder contribuir para a cultura local.


4 - Qual será a sua próxima exposição e com qual temática?
Primeiramente estamos organizando uma exposição com os trabalhos que foram expostos na Europa, junto com todos os estudos que levaram até eles. Quero, se possível, fazer um roteiro com eles por todo o vale, buscando para isso parcerias com galerias, empresas e prefeituras locais. E enquanto isso já dei início a uma nova série que já tem exposição garantida em uma galeria de São Paulo.


5 - Qual a importância de ter obras expostas no exterior para sua carreira?
Ter trabalhos expostos lá fora serve como um balizador, serve como uma garantia da qualidade do que é produzido aqui. Tenho trabalhos com grandes clientes, pessoas conhecidas mundialmente tal como Michele Obama, mas tê-los avalizado por curadores europeus é, além de motivo de grande orgulho, uma garantia para investidores e para todos aqueles que já tem pinturas minhas em seus acervos.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.