Publicidade
Cotidiano | ABC Pra Você | Viver com saúde Vício

Consumo de álcool dispara durante a pandemia

Com o isolamento social, perdas de familiares e amigos e desemprego, a população encontrou na bebida um escape para o momento difícil vivido

Publicado em: 18.02.2021 às 03:00 Última atualização: 18.02.2021 às 15:42

Dia 18 de fevereiro é lembrado o Dia Nacional de Combate ao Alcoolismo Foto: Adobe Stock
Estima-se que o álcool seja desencadeador de mais de 280 doenças e agravos, segundo a Organização Mundial da Saúde. No Rio Grande do Sul, os dados do Detran mostram que 40% dos acidentes com morte estão, diretamente, ligados ao consumo de álcool.

Os dados mostram que o elevado uso de bebidas alcoólicas é uma pandemia existente há muitos anos, por isso, no dia 18 de fevereiro, é lembrado o Dia Nacional de Combate ao Alcoolismo. A data tem o objetivo de lembrar os cidadãos dos malefícios do consumo da substância.

Aumento na pandemia

O consumo de álcool durante a pandemia cresceu no Brasil. Com o isolamento social, perdas de familiares e amigos e desemprego, a população encontrou na bebida um escape para o momento difícil vivido. Uma pesquisa realizada pela Fiocruz revelou que 18% dos brasileiros aumentaram o consumo de álcool. O índice é ainda maior na faixa de 30 a 39 anos: 36%.

A venda de bebidas alcoólicas também cresceu no período: dados divulgados pela Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas (Abead) mostraram um crescimento de 38% nas vendas das bebidas nas distribuidoras desde o início do isolamento social. Nos mercados, o aumento nas vendas foi de 27%.

Abusar das bebidas alcoólicas durante a pandemia não é uma boa ideia: exagerar no álcool pode reduzir a resposta do sistema imunológico e complicar o seu estado de saúde caso contraia o vírus da Covid-19.

Consequências

A bebida afeta o sistema nervoso central, mesmo quando consumida em pequenas quantidades. Em longo prazo, os danos podem ser mais significativos. Tontura, formigamento e perda de memória são algumas das consequências. Homens que bebem muito podem sofrer com disfunção erétil.

Danos cerebrais

O efeito do álcool no cérebro pode ser sentido rapidamente. Alguns deles são temporários, como perda de memória e a falta de coordenação motora. Mas, assim como acontece com o sistema nervoso central, o cérebro pode sofrer com efeitos irreversíveis. O uso abusivo de álcool prejudica definitivamente as funções cerebrais e suas estruturas.

As consequências são problemas de comunicação, falhas cognitivas e dificuldades de equilíbrio, por exemplo. O álcool prejudica ainda a capacidade do indivíduo de tomar decisões.

Não deixe de pedir ajuda!

Muitas pessoas têm dificuldade de diagnosticar o alcoolismo em si mesmo ou em familiares e amigos. Caso você tenha se reconhecido em alguma as opções ao lado, não tenha receio de falar com um profissional de saúde. É melhor você pedir ajuda antes que o álcool vire um problema em sua vida, lembra a psiquiatra do Hospital São José, da Rede de Saúde Divina Providência, Luiza Lucas.

Um dos locais para ajuda é no posto de saúde do seu município, onde há médicos especialistas que atendem pelo SUS.

 

Como é possível identificar o alcoolismo?

No último ano:

__ Você quis reduzir ou parar de beber, ou tentou fazer isso, mas não conseguiu?

__ Alguém já chamou sua atenção ou o criticou por causa da forma como você bebe?

__ Já se sentiu preocupado ou culpado por causa do hábito de  beber?

__ Houve ocasiões em que acabou bebendo mais quantidade, ou por mais tempo, do que pretendia?

__ Se envolveu em situações depois de beber que aumentaram suas chances de se machucar (como dirigir, nadar, usar máquinas, caminhar em uma área perigosa ou ter relação sem proteção)?

__ Teve que beber mais do que o habitual para obter o efeito desejado?

__ Continuou a beber mesmo que isso o deixasse triste ou piorasse outro problema de saúde?

__ Continuou a beber mesmo que isso estivesse causando problemas com sua família ou amigos?

__ Teve problemas de trabalho ou problemas escolares em função da bebida?

__ Bebeu ao acordar, ou de manhã para diminuir os efeitos da ressaca?


Receba notícias diretamente em seu e-mail! Clique aqui e inscreva-se gratuitamente na nossa newsletter.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.