Publicidade
Cotidiano | ABC Pra Você | Viver com saúde Reumatologia

Dores nas juntas: quando ir ao médico?

No Brasil, cerca de 30% da população sofre com dor crônica, segundo a Sociedade Brasileira de Estudos da Dor

Publicado em: 10.09.2021 às 06:16

A dificuldade pode incluir subir rapidamente uma escada ou mesmo levantar da cadeira depois de alguns minutos sentado. O incômodo nas articulações, a popular dor nas juntas, além de trazer dor local e irradiada, pode limitar os movimentos, especialmente de quem já sofre com alguma patologia.

É preciso procurar o médico quando a dor for muito intensa e se prolongar por cerca de seis semanas Foto: Adobe Stock

No Brasil, cerca de 30% da população sofre com dor crônica, segundo a Sociedade Brasileira de Estudos da Dor. A intensidade varia caso a caso, mas, o fato é que quem possui artrite, lúpus, artrose e fibromialgia precisa ter cuidados redobrados, especialmente no inverno, para que as dores não aumentem.

O médico reumatologista Nathan Catolino, do Super Dr., listou as principais dicas para amenizar as queixas, assim como os sinais de alerta. Segundo ele, os incômodos causados pelas dores articulares tendem a piorar em períodos frios pelo fato de as baixas temperaturas causarem maior contração muscular. "A contração causa pressão sobre a articulação, aumentando os incômodos nas extremidades mais expostas, como mãos, pés e joelhos."

Como evitar a dor?

Segundo o reumatologista, para evitar os quadros acentuados de dor é necessário que as pessoas busquem se agasalhar corretamente, tomem banhos com água morna, façam exercícios físicos moderados regularmente e realizem massagens nos locais mais propensos à dor.

"O aquecimento físico e alguns alongamentos são essenciais para aumentar a circulação sanguínea. Isso é importante não só para quem já possui alguma dor crônica, mas também para prevenir as dores articulares", destaca o especialista.

Segundo o médico, os pacientes que mais necessitam de atenção são os que possuem fibromialgia. Isso porque a síndrome faz com que as pessoas tenham maior sensibilidade às menores temperaturas.

Sintomas a serem observados no seu dia a dia

A indicação de Catolino é que as pessoas procurem o médico quando a dor for muito intensa ou se prolongar por cerca de seis semanas. O reumatologista fará a avaliação para verificar as áreas do corpo que doem e fazer a observação correta para o melhor tratamento. Os fatores causais geralmente envolvem envelhecimento, sobrepeso e sedentarismo.

Um sinal de alerta que o profissional pede atenção é a rigidez nas juntas ao acordar, por vários dias seguidos. Essa situação pode ser desencadeada pela artrite e precisa de cuidados para que a dor não se agrave.

Outra situação recorrente diz respeito às dores articulares entre os pacientes infectados com o coronavírus. Catolino afirma que as infecções virais no geral tendem a causar dores nas articulações e piorar o quadro das pessoas que sofrem com dor crônica.

No entanto, é necessário observar os sintomas persistentes após a recuperação da doença e, se necessário, procurar um reumatologista para a terapia. "Quando o período de infecção passa, ou seja, quando a pessoa não pode mais transmitir o vírus, e mesmo assim a dor persiste, o ideal é que se procure um médico, pois essas dores requerem tratamento prolongado."


Mais praticidade no seu dia a dia: clique aqui para receber gratuitamente notícias diretamente em seu e-mail!

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.