Publicidade
Cotidiano | Entretenimento Animalescas

Gato também pode ser solidário e doar sangue a outros pets

Conforme a médica veterinária Daoiá Taine Ritter, gatos doadores precisam seguir alguns critérios

Por Juliana Nunes
Última atualização: 14.10.2019 às 14:20

Louis, que vive em Ivoti, é cadastrado como doador de sangue para ajudar outros felinos Foto: Moisés Lopes/Especial
Henri Philippe Louis. O nome que lembra o de um rei, faz jus à nobreza do bichano. Aos seis anos e pesando pouco mais de nove quilos, Louis, como é chamado pela família, é um gato doador de sangue. Assim como os humanos, os pets também passam por cirurgias e intervenções onde precisam de reposição sanguínea. Atualmente, muitas clínicas veterinárias trabalham com este serviço. É aí que entram os doadores, como Louis. "Achamos importante que ele possa ajudar outros bichinhos que estejam precisando", diz o tutor do gato doador e servidor público Moisés Lopes, 38 anos.

Pets doadores

Conforme a médica veterinária Daoiá Taine Ritter, gatos doadores precisam seguir alguns critérios. "Precisam ser animais adultos que atinjam peso acima de cinco quilos, estejam vacinados com vacina quíntupla, testados para FIV e FeLV, com hematócrito bom, desverminados, alimentados com ração de boa qualidade e de preferência animais castrados e sem acesso à rua", explica Daoiá, que também fala sobre os cães. "O ideal que tenham acima de 20 quilos, maiores de 12 meses, com bom exame de sangue, que tenham três doses da vacina polivalente, e de boa qualidade, e que estejam desverminados", orienta.

Os babys da casa

Apesar de viver em Ivoti, Louis é catarinense. Ele foi adotado em 2014 durante uma viagem. "Foi paixão ao primeiro ronronar", lembra Moisés. Depois de um ano instalado, ele passou a dividir a atenção com outro nenê. "Ele e meu filho João Pedro se adoram. Dividem até a cama", conta Lopes.

A inspiração do gato da família Lopes

O gato da família Lopes já teve um irmão, adotado meses após sua chegada. No entanto, o Mingau ficou doente e morreu aos dois anos. "Foi logo depois do Mingau falecer que descobrimos que o Louis poderia ser um doador", conta seu tutor Moisés.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.