Publicidade

O samba de Nêgo Izolino eternizado

Aos 76 anos, o cantor e compositor lança seu primeiro CD, todo com músicas autorais Reportagem: Susi Mello*

*Fotos: Diego da Rosa / GES

 

Nunca é tarde para concretizar um sonho. Que o diga Izolino Antônio do Nascimento, o Nêgo Izolino como é carinhosamente chamado. Aos 76 anos, 50 deles dedicados ao samba, o cantor e compositor, que nasceu na capital gaúcha e mora em São Leopoldo, viu seu desejo virar realidade. Ele lançou seu primeiro álbum com músicas autorais no espaço que é a grande representação cultural do Estado, o Theatro São Pedro. O dia 17 deste mês, na apresentação com sambistas da noite porto-alegrense e uma camerata de cordas, metais, coral, piano e bateria, ainda está em sua memória. Cada vez que passa em frente ao local, fica admirado com o que ocorreu em sua vida. "Eu tô feliz. É só isso que digo para todo mundo... estou feliz", declara o mestre do samba.

Compositor e intérprete Nêgo Izolino Foto: Diego da Rosa/GES

O artista, que integrou o grupo O Sambão e foi diretor artístico do conjunto Samba Autêntico, tem mais de 200 composições de samba. Agora, 16 delas estão eternizadas no CD, intitulado "Bons Momentos". As canções foram compostas ao longo da vida de Izolino que, após ser abandonado pela mãe aos 10 anos, ir para o Asilo Padre Cacique, na capital, e aos 11 anos ser transferido para o Colégio Agrícola São Miguel, em São Leopoldo, viu seus dons musicais aflorarem. "No colégio tinha um festival que valia rapadura e eu ganhei", lembra sorridente o artista, que também jogou no Grêmio, estudou Mecânica, fez curso de Arquitetura e de desenhista projetista em edificações, profissão que lhe garantiu a aposentadoria.

Casado há 23 anos, pai de nove filhos, dos quais seis vivos, com seis netos e dois bisnetos, Izolino diz que samba para ele está expresso na música de dona Ivone Lara: "Com o samba eu casei, tanto tempo faz. Com ele, eu vivi minha vida em paz", cantarola o artista reconhecido na comunidade do samba de raiz.

Pesquisador

Ele se considera um pesquisador. Pudera! Histórias não lhe faltam quando o assunto é a criação de um samba enredo para as agremiações da capital e região metropolitana. Ele tem a música como refúgio. Declara que sua parte já fez. "Não sou um grão melhor que ninguém, mas ninguém consegue ser melhor do que eu. Tu pode ser o que tu quiser, mas será que tu faz a metade do que eu faço?", sorri o artista.

Uma poesia musicada que se chama "Eu não sei"

Fiz tudo por você

Mas mesmo assim

Você não me aceitou

Jura que tem pena de mim

Que é feliz agora

Não faça isso não

Não jogue fora

O que sinto por ti é paixão

Volta e faz o meu coração sorrir

Não posso e nem quero

Te ver indo embora

Minha felicidade

Está sofrendo pouco a pouco

Penso em você e fico louco

É obsessão... minha felicidade

Procuro achar um jeito

De penetrar no seu peito

Roubar e unir ao meu

Teu coração... coração.

.

Pra sambar

Pra quem quer apreciar a música de Izolino, ele se apresenta às sextas-feiras, 17 horas, e aos sábados, às 16 horas, no Boteko do Caninha, na Rua Barão do Gravataí, 577, em Porto Alegre.

 

Carnaval para o povo, mas com exigências

Para ele, que já desfilou em escolas de samba da capital e da região, como Os Bambas, Imperadores do Samba, Imperatriz Leopoldinense, Portela, entre outras, o carnaval precisa ser planejado. "Carnaval é uma coisa chamada direção. Não tem como fazer carnaval se não tiver sustentação", declara Nêgo Izolino. Por outro lado, ele reforça que é necessário ter carnaval. "Se não tiver, perde-se muitas coisas, o poder público perde, porque o povo gosta do carnaval e quem é que pode dar para o povo essa festa? O poder público, mas com exigências", acrescenta.

 

Nêgo Izolino canta "Vim Buscar" 

Melodia na batucada no banco do trem

O metrô é o espaço que lhe serve de inspiração para novas composições de samba. "Todos os dias acho uma maneira de ir a Porto Alegre. Se eu ficar sentado em casa assistindo televisão, eu perco o meu tempo", diverte-se Izolino. É no trajeto que ele rabisca as letras. Caneta e papel (inclusive o do jornal que leva) são seus companheiros na viagem, onde até o banco serve para encontrar melodia ao que acaba de desenvolver. "Quando estou fazendo samba enredo, colocando melodia, coloco o papel na frente e saio cantando, com uma batucadinha no banco."

O samba

O samba é considerado por muitos críticos de música popular, artistas, historiadores e cientistas sociais como o mais original dos gêneros musicais brasileiros ou o gênero musical tipicamente brasileiro. Ele originou-se dos antigos batuques trazidos pelos africanos que vieram como escravizados para o Brasil.

A harmonia é feita pelos instrumentos de corda, como o cavaquinho e o violão. Já o ritmo é dado, por exemplo, pelo surdo ou pelo pandeiro. Flauta, piano e saxofone também foram incorporados, dando origem a novos estilos de samba.

O samba-enredo, uma das especialidades do compositor Izolino, é um sub-gênero do samba moderno, feito especificamente para o desfile de uma escola.

LANÇAMENTO DE CD

O lançamento do CD tem direção da jazzista Marguerite Silva Santos (Concerto Ébano e Marfim) que uniu esforços com o advogado Cesio Sandoval Peixoto (Estúdio Santana).A produção musical e os arranjos são de Alemão Charles do Cavaco e maestro Antônio Guaracy Guimarães. Camilo Nissen foi o técnico de gravação. A regência foi do maestro João Fernando Azambuja de Araújo. “Izolino é o brio do samba, é o poeta do amor. É um senhor de 76 anos, é um senhor negro e brasileiro, que merece todo nosso carinho e respeito”, declara Marguerite. O CD“Bons Momentos” pode ser adquirido por 20 reais pelo (51) 9-8537-4882.

 

 


Gostou desta matéria? Compartilhe!
Publicidade
Matérias especiais
Transferência de recursos
premium

Novo Hamburgo e São Leopoldo seriam beneficiados com extinção de municípios

Região
Colorido especial
premium

Com decoração caprichada, casa vira atração turística em Ivoti

Região
Sustentabilidade
premium

Projeto de minicisternas em escolas de Novo Hamburgo é finalista de prêmio da ONU

Novo Hamburgo
Cotidiano
premium

Para sentir no bolso: valor das placas no padrão Mercosul variam quase 170% na região

Região