Publicidade
Cotidiano | Estilo de vida Espírito Jovem

Domingo é dia de festejar o amor açucarado dos avós

Em meio à pandemia, necessidade do distanciamento social tem alterado o modo de convívio entre avós e netos. O que não muda é a intensidade do carinho

Por Renata Strapazzon
Publicado em: 25.07.2020 às 10:00 Última atualização: 25.07.2020 às 13:30

Dona Maria, que fez 100 anos no dia 17, diz que para ser inesquecível tem que gostar de ser avó Foto: Acervo Pessoal
Vô e vó são pai e mãe com açúcar. O famoso ditado popular ganha carne e osso quando conhecemos histórias de vovôs e vovós que fazem de tudo pelos netos. Que são o porto seguro ou a palavra de sabedoria quando algum problema aparece. Que são aquele abraço carinhoso e aconchegante que renova as energias. Ou, que simplesmente mostram aos pequenos qual time de futebol seguir e para isso não medem esforços para estarem sempre juntos no estádio. Seja como for, apesar de a pandemia e a necessidade do distanciamento social terem alterado o modo de convívio entre avós e netos nos últimos meses, o que não muda é a intensidade do afeto a ser celebrado neste 26 de julho.

Com três netos, três bisnetos e dois tataranetos, a moradora de São Leopoldo Maria Olívia Ferreira Alcântara tem motivos de sobra para comemorar. Com 100 anos, completados do último dia 17, ela diz amar ser vovó e dá uma dica: "Para ser inesquecível tem que gostar de ser vó. Eu me sinto muito feliz em ter netos." Graças a uma das netas, a assistente financeira Viviane Muniz Alcântara, 45, a matriarca da família Ferreira Alcântara pôde celebrar o centenário de vida rodeada, ainda que a distância, de todos os que ama. Numa festa virtual, dona Maria pode rever familiares e amigos e comemorou a data rodeada de emoção no último fim de semana.

"Não queria deixar passar em branco. Procurei aplicativos para que pudéssemos fazer uma videoconferência. Pelo Whats mandei os convites e organizei com todos que gostariam de participar, no horário e dia marcados. Foi assim que conseguimos reunir bisnetos, tataraneto, que está em São Paulo, alguns filhos de amigas que moram em Portugal", diz Viviane.

Segundo a neta, a vó estranhou conversar pelo computador. "Ela achou diferente ver todo mundo na 'televisão'", diverte-se. "Mas ela conseguiu olhar e conversar com as pessoas no computador. Reunimos um grupo e cantamos os parabéns. Foi muito bonito. Teve uma amiga que tocou violão, tocou piano. Ela estava muito feliz", recorda.

Mensagem na calçada

Mais tarde, dona Maria foi agraciada com uma mensagem ao vivo na calçada de casa. " Achamos que ela ia gostar, mas não ia perceber o que estava acontecendo. E ela nos surpreendeu. Ficou emocionada, chorou. Foi muito bonito", conta Viviane. "Ela está sempre sorrindo e gosta de viver. Tem a saúde muito boa e de vez em quando gosta de tomar uns goles de cerveja. Ela tem momentos de lucidez e ainda reconhece as pessoas que estão mais próximo", conta a neta. "Estou feliz, pois consegui fazer dar certo uma coisa que achei que ficaria em branco. Tenho certeza que para todos que participaram e para ela ficará guardado na memória."

De companhia no Beira-Rio a modelo para maquiagem

Morador de Sapucaia do Sul, o aposentado Paulo Juarez Andrade Machado, 65, é vô da Sophia, 7. Colorado fanático, passou para a pequena o amor pelo time do coração. Além da companhia na arquibancada do Estádio Beira-Rio, Paulo e Sophia compartilham muitos outros momentos. "Gosto de passear no Parque Gigante, ir na praça ensinar ela andar de bicicleta e até servir de modelo para maquiagem", diverte-se o vovô. Por estarem distantes em função da pandemia, os dois celebrarão o Dia dos Avós matando a saudade de forma virtual. "Vou fazer uma vídeo chamada, para falar de todo o amor que sinto por ela", diz Paulo.

 

"Sensação mágica, mistura de sentimentos"

Policial civil há 41 anos, o comissário Antônio Carlos Pinto, 61, é vô de três netos: Isadora, de 4 anos, Bento, de 3, e Helena, de 5 meses. Como segue trabalhando normalmente, há meses o contato do vô com os pequenos tem sido feito apenas pelo WhatsApp. É em cada ligação que eles tentam preencher um pouco a falta que faz o contato físico, o colo e as brincadeiras. "Ser avô é uma sensação de renovação. É um presente de Deus ter saúde para aproveitar os filhos dos meus filhos como se fossem meus. É uma sensação mágica, uma mistura de muitos sentimentos, de gratidão com o universo."

A data

O dia 26 de julho é celebrado como Dia dos Avós por ser a data em que a Igreja Católica celebra São Joaquim e Santa Ana, pais de Maria, avós de Jesus.


Receba notícias diretamente em seu e-mail! Clique aqui e inscreva-se gratuitamente na nossa newsletter.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.