Publicidade
Botão de Assistente virtual

'Apagão' do WhatsApp, Facebook e Instagram traz à tona a insegurança do compartilhamento de dados

Especialistas alertam para o risco de uma pandemia de dados e os cuidados a serem tomados

Reportagem: Jauri Belmonte

Redes sociais como WhatsApp, Facebook e Instagram saíram do ar pouco depois do meio-dia desta segunda-feira (4). Foram mais de seis horas de instabilidade total até o início da normalização do funcionamento, pouco antes das 19 horas.

No entanto, mais que a ausência pontual, a instabilidade mostra que há uma insegurança no compartilhamento de dados, além da dependência diária dessas ferramentas tanto para uso pessoal quanto profissional.

Facebook foi uma das redes afetadas com a instabilidade desta segunda-feira
Facebook foi uma das redes afetadas com a instabilidade desta segunda-feira Foto: Divulgação/pxhere

Para André Rafael Weyermüller, professor da pós e da graduação da área do Direito da Universidade Feevale, a pandemia mostrou como as pessoas são dependentes das plataformas. Paralelo a isso, o especialista em Lei de Proteção de Dados acredita que o fornecimento de dados está em risco. “Acredito que, hoje, a questão dos dados é humanitária. A globalização foi algo que reforçou a pandemia de Covid-19, então, não se pode descartar que essa globalização venha a impulsionar uma pandemia de dados. Afinal, vivemos a ‘Era’ da insegurança.”

Weyermüller faz um paralelo entre os riscos de dados, pandêmicos e, também, os ambientais. “Hoje, o risco de dados é muito maior do que já foi. Tudo ficou muito sensível e exposto e não sabemos o que e como fazer. Para combater a pandemia do coronavírus, você pode usar máscara, manter o distanciamento social. No caso ambiental, cabe a governantes tomarem medidas e métodos para reduzir queimadas e impactos. Mas se tivermos uma crise de dados, o que podemos fazer? É algo incerto. Estamos à mercê da informação.”

Momento de incertezas

Se em situações de funcionamento normal de redes sociais e plataformas, os dados ficam expostos, o ‘apagão’ desta segunda-feira traz ainda mais incertezas sobre a segurança dos dados. “A fluidez deles (dados) certamente é afetada. Talvez essa pane possa fragilizar toda a rede e, claro, aumentar o risco deles vazarem. Não é algo que podemos descartar”, reforça Weyermüller.

Para Jéferson Campos Nobre, professor do Instituto de Informática Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), ainda que a insegurança seja natural, os dados nem sempre são compartilhados. “Já houve momentos em que acusações apontavam para o vazamento de dados no Facebook, por exemplo. Mas na verdade, o que acontece é que quando tu usa outro serviço, as informações são compartilhadas. Mas que fique claro: não são todos os dados que são compartilhados. Inclusive, há maneiras de configurar quais dados serão compartilhados (veja abaixo).”

Outras opções

As redes sociais facilitaram a conexão entre as pessoas. Grupos e organizações também tiram proveito do uso dessas ferramentas para, além de integrar, atingir mais pessoas com seus serviços e produtos. No entanto, a instabilidade recente mostrou que algumas frentes atuantes no mundo virtual foram afetadas, como influencers e plataformas de pagamento. “Muita gente foi afetada hoje porque centraliza tudo em uma plataforma só. É necessário variar, ter dinamismo”, diz Campos.

A instabilidade virou alvo de reclamação de usuários no Twitter, única rede social que não foi afetada. “Isso mostra que existem outras opções. Para compartilhamento de conteúdo, o Twitter é uma ótima rede social. Para envio de mensagens, há o Telegram.”

Cuidados a serem tomados

Campos acredita que hoje, o que está em jogo não é o caso de segurança do usuário, mas as questões básicas ao realizar cadastros. “É necessário atualizar o telefone e os aplicativos, instalar plataformas e ferramentas que provêm de fontes confiáveis, além, claro, de usar o senso crítico na hora de se cadastrar em alguma plataforma ou rede social.”

Como configurar compartilhamento de dados

Aos usuários que desejam limitar a quantidade de informações que compartilham com o Facebook, o indicado é fazer algumas alterações. Basta ir na aba de configurações de privacidade, mais especificamente na parte de aplicativos e programas e seguir os seguintes passos:

  • 1- abra a área de “Configurações” no menu, na parte superior direita da plataforma;
  • 2- selecione “Configurações de Privacidade”;
  • 3- encontre a opção “Anúncios, aplicativos e sites” e clique em “Editar Configurações”;
  • 4- abra o item “Como as pessoas colocam suas informações nos aplicativos que usam”;
  • 5- desmarque todas as caixas que achar necessário.
Gostou desta matéria? Compartilhe!
Publicidade
Matérias especiais
COMUNIDADE

Saiba quais os ensinamentos da 'Dona Cela' para cuidar melhor de idosos

Região
Especial

Casarão histórico, que une o gótico com o contemporâneo, é atração na cidade

Região
VEJA O GOL

Noia cai de ritmo e é derrotado pelo Garibaldi

Alambrado Anilado
ESPECIAL
premium

Artesanato rural é sinônimo de moda e sustentabilidade em Igrejinha

Região