Publicidade
Botão de Assistente virtual
Esportes MAIS UMA DECISÃO

Noia vence o Aimoré e está na final da Copa FGF

Com gol de Héctor Bustamante, o Anilado buscará o terceiro título da competição diante do Glória

Por Jauri Belmonte
Publicado em: 01.12.2021 às 22:37

Na partida com melhor público no Estádio do Vale desde a volta do torcedor às arquibancadas, Novo Hamburgo e Aimoré ofereceram aos espectadores um grande jogo na noite desta quarta-feira (1º). No Clássico do Vale 98, melhor para o time de Edinho Rosa, que venceu por 1 a 0 e garantiu vaga na final da Copa FGF - Troféu Dirceu de Castro. Classificada, a equipe anilada terá como adversário na decisão o Glória. O primeiro confronto ocorre no domingo *5), em Vacaria, e a volta no dia 12, no Estádio do Vale. Os horários ainda não foram definidos.

Atacante paraguaio Bustamante (E) fez o gol da classificação anilada no Estádio do Vale
Atacante paraguaio Bustamante (E) fez o gol da classificação anilada no Estádio do Vale Foto: Diego da Rosa/GES

Esta será a 11ª final que o Anilado disputa nos últimos dez anos, incluindo Copa FGF, Copa Metropolitana e o Gauchão. O time hamburguense tenta conquistar a terceira Copinha, já que foi campeão nos anos de 2005 e 2013, buscando espaço também na Copa do Brasil 2022. Já o Aimoré terá de organizar a casa e pensar na disputa do Gauchão 2022 e a Série D do Brasileiro.

O confronto

No duelo desta quarta, tratado por muitos como a final antecipada, os dois chegaram ao jogo de volta sem a vantagem e com a necessidade de vencer. Na ida, no Estádio Cristo Rei, em São Leopoldo, os times haviam empatado em 0 a 0. Rosa manteve a mesma equipe em comparação ao primeiro jogo, enquanto Rafael Lacerda colocou Bruno Oliveira na vaga de Adriano Klein.

Com ações mais ofensivas, foi o Noia que abriu o placar na partida. Logo aos 9 minutos, Luan Santos fez boa jogada e encontrou Héctor Bustamante, que dominou e arrematou com o pé esquerdo, sem chances para o goleiro Luiz Henrique: 1 a 0. Na comemoração, o paraguaio levou o cartão amarelo por ter tirado a camisa. O Aimoré também respondeu com boas chegadas ao ataque. Mas o primeiro tempo não teve placar alterado.

Na segunda etapa, os visitantes ameaçaram mais e obrigaram o goleiro anilado a operar um milagre após finalização perigosa de Klein. O Noia também perdeu boas chances de ampliar a vantagem. Depois disso, o jogo ficou mais disputado e faltoso. Aos 36min, a bola bateu na mão do jogador Kaio, do Noia, dentro da área. Os jogadores do Aimoré reclamaram de pênalti, mas a arbitragem não marcou nada.

Nesse ano, foram cinco clássicos, com duas vitórias do Noia, uma do Aimoré e dois empates. Na história, são 41 vitórias do Anilado, 36 empates e 21 vitórias do Aimoré. Os anilados marcaram 127 gols, enquanto os capilés anotaram 98 vezes.

Torcida anilada fez a festa

Com muita festa e foguetório. Foi assim que os cerca de 1,5 mil torcedores que estiveram na casa anilada, nesta noite, comemoraram e ajudaram o Noia a chegar à mais uma decisão de Copa da Federação Gaúcha de Futebol (FGF). Desde o início da competição, essa foi uma parceria que deu certo.

Em sete jogos no Estádio do Vale, o Noia saiu vencedor em todos, incluindo dois clássicos contra o Aimoré.

O jogo

Quarta-feira (1º) / Estádio do Vale, em Novo Hamburgo. Árbitro: Douglas Schwengber da Silva, auxiliado por Leirson Martins e Fagner Cortes.

Novo Hamburgo 1

Lucas Maticoli; Islan, Micael, Kesley e Higor; Gabriel, Felipe Guedes, Júnior Timbó (Marcio Jonatan) e Héctor Bustamante (Barbieri); Michel Renner (Caubi) e Luan Santos (Kaio). Técnico: Edinho Rosa.

Aimoré 0

Luiz Henrique; Bruno Ferreira (Gabriel Henrique), Natã, Henrique (Darlan) e Raphael Soares; Régis (Wesley), Araújo e João Denoni; Maurinho (Adriano Klein), Bruno Oliveira (Isaías) e Lucas Silva. Técnico: Rafael Lacerda.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.