Publicidade
Esportes | Inter Ídolos acreditam no título

Ex-jogadores, treinadores e também torcedores pelo tetra do Inter

Bolívar, Luiz Carlos Winck e Claiton tiveram passagens marcantes pelo Colorado. Agora, mesmo distantes do Beira-Rio e noutra condição dentro do futebol, relembram os dias vestindo o manto vermelho e acreditam na taça

Por Matheus Beck
Publicado em: 25.02.2021 às 06:06

Treinadores ex colorados Foto: GES
Desta quinta-feira (25) não passa. O campeão brasileiro será conhecido nesta noite. Pela televisão, muitos torcedores, ex-treinadores e ex-jogadores colorados estarão na expectativa pelo tetra.

A reportagem do Grupo Sinos buscou figuras da região e identificadas com o Inter para contarem das experiências vividas no Beira-Rio e da ansiedade pela definição. Natural de Portão, Luiz Carlos Winck, ex-lateral e treinador do Esportivo, Bolívar, das glórias no bi da Libertadores da América e também ex-treinador do Novo Hamburgo, e Claiton dos Santos, que colecionou estaduais e treinou o Aimoré, comentaram sobre a perspectiva que envolve Inter e Flamengo.

Winck tem confiança no trabalho do técnico colorado, substituto de Eduardo Coudet. "Acho que o Abel tem estratégias, é uma pessoa muito inteligente e com certeza ele vai saber muito bem conduzir sua equipe para a vitória dentro de campo."

Bolívar projeta um duelo de dificuldades, indicando necessária atenção ao elenco colorado. "Um jogo muito perigoso, o Corinthians por sua tradição, por sua camisa, é um time chato de enfrentar, mas o Inter vem em um nível de atuação muito bom, se manter foco e concentração que vem tendo nos jogos, ele ganha."

O também criado no Beira-Rio, Claiton, afirma que já projetava a derrota para o Flamengo, no Maracanã, dada a dificuldade, mesmo assim, mantém a convicção no tetra. "Sempre acreditei nesse resultado. Vencendo em casa e o São Paulo tirando ponto do Flamengo. Eu acredito muito que o Inter possa ser campeão."

* Colaborou: Gustavo Henemann 

Título para coroar trabalho de Abel Braga

Abel Braga acredita na força do grupo colorado para vencer o Corinthians no Beira-Rio Foto: Ricardo Duarte/Inter
Abel Braga se tornou nesta temporada o treinador com mais jogos no comando do Inter na história, 339 jogos até o momento. E quem lhe conhece bem é Bolívar, que foi peça importante na conquista da primeira Libertadores em 2006. E o ex-zagueiro, agora técnico de futebol, crê no trabalho de Abelão. "É um ótimo trabalho do Abel. Muita desconfiança no início, mas isso é normal da mídia, de sempre achar que o resultado precisa ser imediato, mas sabemos que o futebol não funciona assim. O Abel acabou sofrendo no início, sem tempo para trabalhar, e quando teve esse tempo, conseguiu colocar sua ideia de jogo e os jogadores assimilaram. Só esse título para fechar com chave de ouro."

Para Bolívar, o Flamengo, adversário direto na tabela assim como em 2009, terá uma parada dura nesta noite. "O São Paulo, com a derrota (para o Botafogo) ainda acabou ajudando o Inter, porque vai precisar de uma vitória nesta última rodada. Então, o Flamengo não terá vida fácil", finalizou.

 

Ansiedade e merecimento

Para Bolívar, um dos ídolos dos colorados, e que esteve presente em duas oportunidades em que o Inter acabou ficando com o vice-campeonato brasileiro, em 2005 e 2009, o título ainda é possível. "Todo o colorado está muito ansioso, porque não há nada definido ainda. Os dois últimos enfrentamentos, tanto do Inter, quanto do Flamengo, são jogos difíceis. A minha expectativa é muito boa, até mesmo pelo que o Inter vem apresentando, e por estar merecendo essa competição por tudo que fez."

 

Motivação e tranquilidade

Luís Carlos Winck, técnico do Esportivo Foto: Kévin Sganzerla/Divulgação
Luiz Carlos Winck é treinador do Esportivo, enfrentará o Colorado no Gauchão, mas como ex-jogador do clube, não esconde a torcida. "Por jogar em casa, acho que o Inter leva vantagem. Em função de busca de vaga direta à Libertadores, o São Paulo talvez crie mais dificuldades para o Flamengo e talvez seja aí a definição do campeonato." Seis vezes campeão gaúcho com o clube, Winck lembrou de decisões como em 1988, no vice diante do Bahia, mas nesta quinta, crê fim vitorioso para o Inter.

Lembranças da arquibancada

Claiton dos Santos, ex-treinador do Aimoré Foto: Diego da Rosa/GES
Otimismo e um sentimento que vem de dentro, do concreto do Beira-Rio, envolve o pensamento de Claiton. "Eu estava no estádio no título da Copa do Brasil em 92, eu jogava na escolinha, comemorei muito. As Libertadores e o Mundial eu torci de longe, ainda era atleta profissional e esse vai ter um sentimento especial por estar aqui, ter parado de jogar, ter amigos que ainda trabalham no Inter e a expectativa é muito grande. Acredito que o Inter tem grandes chances", projeta.


Receba notícias diretamente em seu e-mail! Clique aqui e inscreva-se gratuitamente na nossa newsletter.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.