Publicidade
Esportes | Novo Hamburgo Ponto tradicional

Bancas do Centro de Novo Hamburgo voltam a receber mesas e cadeiras

Com a melhora dos índices do avanço do coronavírus, Prefeitura reinstalou as estruturas retiradas três meses

Por Suélen Schaumloeffel
Publicado em: 17.09.2020 às 19:43

Diego e o sobrinho aproveitaram para lanchar e descansar Foto: Inézio Machado/GES
Os clientes e trabalhadores da área das Bancas, na Praça do Imigrante, no Centro de Novo Hamburgo, comemoraram a recolocação das mesas e cadeiras, que ficam junto das lancherias. A Prefeitura realizou a reinstalação dos 16 conjuntos na manhã de ontem, após pouco mais de três meses da retirada.

Na época, a medida foi adotada como uma forma de evitar aglomerações. Mas a atual situação, com a mudança para a classificação em bandeira laranja, que significa risco médio no modelo de distanciamento controlado, somada com a diminuição de casos, internações e óbitos de Covid-19 no Município, permitiram a recolocação da estrutura para uso dos frequentadores, conforme a Prefeitura. "A utilização dos espaços deverão seguir as normas de distanciamento e higienização vigente", explica em nota.

Conforme o casal Nelsi e Valdir Glaser, de 66 e 67 anos, responsáveis pela Banca 6, a recolocação deve impactar positivamente nos negócio, já que a falta da estrutura muitas vezes desestimulam o consumo. "Dependendo do tipo de lanche é muito incômodo comer em pé. Imagina uma mãe com uma criança nesta situação. A pessoa acabava deixando de consumir porque não tinha um lugar adequado para realizar a refeição", explica Nelsi.

O gerente calçadista Diego da Silva, de 30 anos, aproveitou o espaço para fazer uma pausa no passeio com o sobrinho e lanchar. "É bom poder ficar aqui e comer tranquilamente, sem pressa. Sem a estrutura, acho que muita gente nem tira tempo para comer", pontua.

Cuidado para deixar espaços limpos

Se as equipes das lancherias já mantinham as mesas e cadeiras limpas antes da pandemia, agora a atenção é redobrada. "A cada pouco vem alguém de uma banca, recolhendo os lixos, mas também limpando mesas e cadeiras com álcool", conta Valdir. Com os comerciantes adotando medidas de precaução ao contágio, os cuidados, como uso de máscara e o distanciamento, dependem de cada frequentador do local. "Cada um fazendo sua parte, não tem motivo para não seguir assim."


Mais praticidade no seu dia a dia: clique aqui para receber gratuitamente notícias diretamente em seu e-mail!

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.