Olá leitor, tudo bem?

Use os í­cones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, ví­deos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Rua Jornal NH, 99 - Bairro Ideal - Novo Hamburgo/RS - CEP: 93334-350
Fones: (51) 3065.4000 (51) 3594.0444 - Fax: (51) 3594.0448

BAH!rulho
Lançamento

As luzes e as sombras de EX LUX

Banda EX está divulgando o seu segundo disco, EX LUX, lançando as músicas uma a uma
19/02/2016 21:27 19/02/2016 21:35
Foto: Laura Cattani-Ío/Divulgação
Banda EX numa rua qualquer
As bandas que conseguem encontrar uma identidade própria são sempre as que mais agradam ao Bah!rulho. E se conseguem aproximar sua música de um trabalho de arte, gerando questionamentos, impacto e sentimentos, melhor ainda. E a EX é assim. Formada em Porto Alegre, a banda lançou o seu primeiro disco, AINDA, em 2008. Oito anos depois, eles estão divulgando o seu segundo álbum: EX LUX.
Gravado no Estúdio Dreher, em Porto Alegre, entre dezembro de 2014 e março de 2015, com produção de Thomas Dreher, Guilherme Klamt, Thiane Nunes e Rafael Martinelli, o trabalho conta com oito músicas. Elas serão lançadas individualmente, mês a mês, até que o disco esteja completo. Até agora, duas composições já foram divulgadas através do selo Lezma Records: Ontem e Graça. Para o Bah!rulho, a sonoridade remete a The Cure e The Jesus and Mary Chain – sombrio e iluminado. Nas redes sociais a banda se resume da seguinte forma: EX parte da energia gótica para construir o início e o fim de um minimalismo barroco em sua música.
Para saber um pouco mais sobre o trabalho dos caras, o Bah!rulho conversou com a vocalista Thiane Nunes. Tu pode acompanhar a entrevista escutando as duas primeiras músicas de EX LUX. É só dar play lá embaixo. Se liga aí:

De onde é a banda?
Nós, como EX, que viemos depois de nós, pessoas, somos de Porto Alegre, porque foi aqui que as composições nasceram, e elas são a parte integrante mais importante do processo. Mas nós, indivíduos, somos de regiões diferentes. Eu por exemplo nasci em São Leopoldo, mas temos no currículo de natalidade Passo Fundo e Nova Bréscia, por exemplo.

Nomes e funções dos integrantes...
As funções se mesclam, e quanto maior a colaboração e as trocas, maior é a possibilidade criativa. Em termos do que se vê publicamente, em shows, atualmente nos apresentamos assim: Rafael Martinelli/Jesus de Marti (vocal), Thiane Nunes (vocal, arranjos eventuais, escaleta, Ipad e percussão), Guilherme Klamt (baixo, guitarra, violão e teclados), Cristiano Sertório (guitarra, baixo, violão) e Rodrigo Souto (teclados, efeitos e sintetizador) e Alexandre AG (bateria).

A EX surgiu a partir de outra banda, a Deus e o Diabo, que teve destaque no cenário alternativo. Existe alguma cicatriz dos tempos de Deus e o Diabo na EX?
Sim, como uma noiva para Frankenstein, a EX possui marcas e cicatrizes profundas influenciadas pela falecida DEOD. Eu, Klamt e Martinelli seguimos nosso processo criativo e nosso jeito de fazer arte da mesma forma como antes, com as mesmas influências e gostos pessoais, mas com um acréscimo de experiência e vivência artística, que só vem a somar.

Quais são as principais influências do som de vocês?
Não creio que possa falar por todos. Tenho muita influência na literatura, e para mim cada música tem vida própria, ainda que se liguem entre si. Essas amarras somos nós todos. Mais interessante que eu citar objetivamente é observar as influências que outros julgam encontrar ao ouvir nosso som. Aprecio saber.

EX LUX é o segundo disco. O que mudou desde o álbum de estreia AINDA (2008)?
AINDA foi uma imersão, uma experiência e um testemunho. Foi a prova concretizada de que continuávamos os mesmos, mas diferentes, e que seguir não era uma escolha, mas um chamado. EX LUX é gerado a partir disso. É um filho, é um processo, não precisa mais ser ansiado, ou pensado, ele surge sozinho, ele nos invade. AINDA nasceu por fertilização in vitro. EX LUX é parto natural.

Busca, saudosismo, desilusões e uma certa desesperança são temas das letras dos dois primeiros singles. O que inspira vocês nas composições das letras da banda e qual o efeito que vocês esperam causar nos ouvintes?
Martinelli é o letrista mor, normalmente apenas acalento as palavras com melodias e trabalhos fonéticos. Tenho comigo que a arte existe porque a vida não basta. Então, acredito que a inspiração dele é essa, são seus pensamentos motrizes, são suas motivações e ideais, com pinceladas de auto retratos. Mas não creio que ele almeja qualquer efeito. O que vier, faz parte da experimentação.

O novo trabalho está pronto? Quando será lançado?
EX LUX está pronto no sentido material da gravação. Nossa intenção é lançar single por single, cada peça artesanal e personificada, até lançar o álbum completo. Até agora foram duas: Ontem e Graça. Nós respeitamos muito cada composição e queremos dar a elas permissão para auto-suficiência. Ao final, com disco completo, talvez tomem outra direção conceitual quando finalmente estiverem reunidas. Não é uma aposta, apenas uma possibilidade.

O que a EX espera de 2016?
Mais empatia e graça.
 

Jornal NH

BAH!rulho

por André Heck
andre.heck@gruposinos.com.br

Rock, pop, alternativo, hip hop... enfim, música. Essa é proposta do Bah!rulho, editado pelo jornalista André Heck. Um apanhado geral do que rola nos palcos e discos mundo afora, com informação e opinião, tudo em volume muito alto.

PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS