Publicidade
Notícias | Especial Coronavírus Covid-19

Coronavírus: família de Taquara, presa em Cabo Verde, pede ajuda ao Itamaraty para voltar ao Brasil

Casal de idosos, de 83 e 73 anos, juntamente da filha, 43, alegam que tiveram voos cancelados pela companhia; embaixada brasileira disse que está adotando medidas

Por Jauri Belmonte
Última atualização: 20.03.2020 às 22:43

Suzana, Maria Izabel e Plínio Hans durante a viagem Foto: Reprodução
Férias na Ilha do Sal, em Cabo Verde. Tudo o que teria para ser um cenário perfeito de férias em um arquipélago africano, tem se tornado um pesadelo para uma família de moradores de Taquara. Um casal de idosos e a filha deles estão 'presos' no país desde o dia 12 de março, sem conseguir voltar ao Brasil: o motivo é o cancelamento dos voos internacionais para que a pandemia do coronavírus não se multiplique. Com viagem já marcada e as passagens de ida e volta compradas, eles descobriram - em pleno aeroporto - que estes haviam sido cancelados pela companhia aérea Cabo Verde Airlines.

Leia aqui todas as notícias relacionadas ao novo coronavírus 

"Nós ficamos os sete primeiros dias em um hotel, onde tínhamos tudo pago, dentro do pacote da viagem. Primeiramente nos informaram que o voo, programado para as 23 horas de quarta-feira (18), seria adiantado para as 21 horas. Porém, no meio da tarde, a informação que recebemos é de que o voo foi cancelado", disse a auxiliar de exportação, Suzana Hans, 43 anos. Ela e os pais, Plínio Hans, 83; e Maria Isabel Hans, 73, estão nervosos para saber qual desfecho a situação terá e, com isso, retornar para casa. "Não temos previsão de quando voltaremos. Por isso, reservamos um apartamento". A família compõe o grupo de, aproximadamente, 60 brasileiros oriundos de estados como Rio Grande do Sul, Pernambuco, Amapá e Minas Gerais. Segundo Suzana, a Embaixada Brasileira e o Itamaraty estão cientes da situação, porém, a companhia não quer se responsabilizar pela volta dos brasileiros. "Minha mãe tem remédio contínuo para o coração, eu também. Não sei como conseguir essa medicação aqui sem receita. Estamos muito aflitos", frisou.

Segundo ela, a compra das passagens foi feita pela agência de viagens de Taquara, Unitravel, que revendeu um pacote da Cativa, de Porto Alegre. "Eles entraram em contato com a Embaixada e estão dando o suporte que podem, inclusive renovaram nosso seguro viagem", ponderou.

Embaixada se manifestou

Confira na íntegra a nota emitida na tarde desta sexta-feira (20) pela Embaixada do Brasil:

A Embaixada do Brasil permanece realizando gestões junto ao Governo de Cabo Verde e à empresa Cabo Verde Airlines com vistas a construir uma solução para os mais de 80 nacionais brasileiros impossibilitados de deixar o país. Hoje obtivemos uma sinalização importante do Ministério do Turismo e dos Transportes local sobre a possibilidade de um voo especial, de caráter humanitário, para repatriação dos viajantes brasileiros na próxima semana. Ainda não há definição da data exata da partida do voo. Solicitamos aos brasileiros que se encontram nessa situação que mantenham a calma e que aguardem novas informações da Embaixada sobre o procedimento de repatriação a ser adotado. Manteremos todos informados de qualquer novo desdobramento ao longo do final de semana.


Receba notícias diretamente em seu e-mail! Clique aqui e inscreva-se gratuitamente na nossa newsletter.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.